logo_anba_pt logo_camera_pt
03/07/2014 - 07:00hs
Compartilhe:

Seleção argelina é recebida com festa em casa

Uma verdadeira multidão recepcionou a equipe nas ruas de Argel. Os jogadores desfilaram em carro aberto. Presidente do país quer permanência de técnico bósnio.



Argel – Os moradores de Argel, capital da Argélia, fizeram uma recepção popular calorosa à seleção de futebol do país na tarde desta quarta-feira (02), em agradecimento ao desempenho na Copa do Mundo do Brasil. Pela primeira vez a equipe se classificou para as oitavas de final, mas acabou derrotada por 2 a 1 pela Alemanha em jogo decidido na prorrogação, em Porto Alegre, na segunda-feira.

APS

Jogadores tiveram recepção calorosa na capital

As ruas da cidade foram decoradas com as cores nacionais e com bandeiras de todos os tamanhos, colocadas nas sacadas e fachadas dos prédios. A multidão aguardava os jogadores, que saudaram a população de cima de um ônibus preparado para a ocasião.

O veículo foi pintado com as cores da Argélia, com os nomes dos jogadores e com o slogan: “One, two, three, viva l’Algérie”. A equipe deixou o Aeroporto de Argel por voltas das 15 horas e percorreu as ruas da cidade durante duas horas.

Na chegada, a equipe foi recebida por centenas de fãs e por autoridades, como o primeiro-ministro Abdelmalek Sellal e o ministro dos Esportes, Mohamed Tahmi. Sellal convidou os jogadores para comparecerem mais tarde a um “iftar”, que é a quebra do jejum do Ramadã após o por do sol.

O capitão da seleção, Madjid Bougherra, disse que ele seus companheiros “estão orgulhosos de ter cumprido sua missão no Brasil, ao chegar pela primeira vez às oitavas de final da Copa do Mundo”. Desde o início este era o objetivo declarado dos argelinos. “Apesar do cansaço da viagem, a recepção que o público argelino nos reservou nos dá uma força insuperável, obrigado aos argelinos e viva a Argélia”, destacou o capitão.

APS

Multidão foi esperar a equipe no aeroporto

O zagueiro Carl Medjani, por sua vez, se disse “maravilhado” com a recepção, disse que ela ficará guardada na memória e prometeu que “esta aventura é apenas o início para esta grande equipe”.

Na Praça da Concórdia Nacional (ex-1º de Maio), ponto final da parada, as famílias chegaram com duas horas de antecedência para esperar a passagem da seleção. Pais e mães acompanhados dos filhos, bandeiras nas mãos, estavam lá para ver de perto os atletas que passaram a chamar de “heróis do país”.

Apesar do tempo ruim, calor tórrido e do jejum do Ramadã, os argelinos saíram em massa, sendo que normalmente a esta hora da tarde as ruas da capital ficam vazias, pois as pessoas se recolhem em função do calor e do período de resguardo religioso.

Vale lembrar que agora é verão na Argélia, país quem tem 70% de seu território coberto pelo Deserto do Saara, e as temperaturas são altíssimas. Além disso, durante o mês do Ramadã, iniciado no último final de semana, os muçulmanos, que compõem a maioria absoluta da população argelina, ficam em jejum do nascer ao por do sol.

Munidos de seus tablets, celulares e câmeras, os fãs da seleção não perderam a oportunidade de registrar o momento que eles classificaram de “histórico” e “fabuloso”.

Os torcedores criaram verdadeiras coreografias a cada ponto por onde passou o desfile. As ruas de Argel ofereceram um espetáculo de multidões cantando slogans de apoio à equipe nacional, aos jogadores, mas, sobretudo, ao técnico bósnio Vahid Halilhodzic. Segundo o site da Fifa, já no aeroporto, o treinador foi recebido aos gritos de “Allahu akbar, Halilhodzic” (“Deus é maior, Halilhodzic).

Foi um dia “inesquecível”, disse um espectador, que espera que a seleção tenha outras boas performances no futuro, em especial na Copa Africana de Nações, que será realizada em janeiro próximo.

Fica

APS

Atletas foram recebidos pelo presidente

Mais tarde, a seleção foi recebida pelo presidente do país, Abdelaziz Bouteflika. “Vocês representaram a Argélia com orgulho”, declarou. Ele teve ainda uma reunião em separado com o técnico bósnio e com o presidente da Federação Argelina de Futebol (FAF), Mohamed Raouraoua, e pediu que Halilhodzic permaneça à frente da equipe.

“Vahid tem que ficar conosco. É uma grande equipe esta que nós temos”, afirmou Bouteflika. O treinador sorriu respondeu: “Não foi fácil, mas precisamos continuar nesse ritmo. Graças ao nosso jogo, nós nos tornamos os queridinhos dos brasileiros”.

O contrato de Halilhodzic com a Seleção da Argélia está no fim. Ele ocupa o cargo desde 2011. Nem o técnico, nem o presidente da FAF se pronunciaram de forma oficial sobre o futuro, mas a imprensa especializada fala do francês Christian Gourcuff como possível sucessor.

Os torcedores, porém, lançaram uma campanha nas redes sociais pedindo a permanência do treinador.

Os “Verdes”, como é conhecida a seleção, voltam a campo em setembro para as eliminatórias da Copa Africana 2015, cuja fase final vai ocorrer no Marrocos.

*Tradução do francês de Alexandre Rocha com informações da redação da ANBA

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form