logo_anba_pt logo_camera_pt
07/07/2014 - 18:39hs
Compartilhe:

Copa gera R$ 500 milhões para pequenas empresas

Essa é a receita adicional que a competição mundial deve trazer para mais de 40 mil micro e pequenos negócios que se prepararam pelo Sebrae. Maiores oportunidades ocorreram em construção, turismo e serviços.



São Paulo – A Copa do Mundo vai gerar R$ 500 milhões em faturamento adicional para mais de 40 mil pequenas empresas brasileiras que se prepararam para fazer negócios durante a competição. A estimativa foi divulgada nesta segunda-feira (07) pelo diretor-presidente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Luiz Barretto, em coletiva no centro de mídia do mundial, no Rio de Janeiro.

O montante de receita adicional será obtido por um grupo de 43.910 micro e pequenas empresas, além de microempreendedores individuais, que procuraram o Sebrae para se capacitar para a Copa do Mundo no Brasil. Elas participaram de um projeto que o organismo promoveu, justamente com este objetivo, a partir de 2011.

“A gente tinha uma expectativa de que seria meio bilhão de reais. Passamos isso nesta semana e vamos divulgar um balanço após a Copa. É um sucesso”, afirmou Barretto. Entre os exemplos de empresas que conseguiram faturar com a competição ele citou um fornecedor carioca de material de construção que melhorou seu negócio e conseguiu certificações para fornecer as rampas para o Estádio do Maracanã.

As ações de preparação e acompanhamento destas empresas foram realizadas principalmente nas 12 cidades-sede da Copa. O Sebrae investiu R$ 90 milhões no projeto, segundo informações divulgadas pelo centro de mídia da Copa, a partir de dados da instituição. Do total de empresas que estiveram no projeto, cerca de 10 mil seguirão se capacitando com o Sebrae.

“Trabalhamos a ideia de ter legados, de preparar a empresa, não só para faturar mais nesses dias de Copa, mas para ter mais competitividade, mais qualidade e para que essas empresas sobrevivam no mercado, que é cada vez mais concorrencial”, afirmou Barretto. “Temos confiança de que essas empresas que passaram por nós serão mais competitivas e sobreviverão no mercado”, completou.

Segundo pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) encomendada pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), o impacto total da Copa do Mundo na economia brasileira deve ser de R$ 30 bilhões. A projeção foi feita com base no impacto da Copa das Confederações, que gerou R$ 9,7 bilhões. O Sebrae contou com a ajuda da Fundação Getúlio Vargas (FGV) para calcular a geração de receita pela Copa entre as pequenas empresas.

Os setores que mais tiveram progresso no projeto foram os de construção civil, turismo e serviços. Além de receberem treinamento, elas tiveram oportunidade de expor seus produtos em espaços como showrooms de artesanato brasileiro nas cidades-sede da competição e lojas com artigos que são a “cara do Brasil”.

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form