logo_anba_pt logo_camera_pt
25/07/2014 - 16:45hs
Compartilhe:

Copa faz estrangeiro gastar volume recorde no Brasil

Despesas de turistas internacionais no País somaram US$ 797 milhões em junho, um aumento de 76% sobre o mesmo mês do ano passado.



São Paulo – Os visitantes estrangeiros gastaram no Brasil US$ 797 milhões em junho, um aumento de 76% em relação o mesmo mês do ano passado, de acordo com nota sobre o setor externo divulgada nesta sexta-feira (25) pelo Banco Central. Segundo informações do Ministério do Turismo, o valor é um recorde mensal e pode ser atribuído ao movimento de turistas que vieram ao País para a Copa do Mundo.

De acordo com a Agência Brasil, em julho, até o dia 23, as despesas de turistas internacionais no Brasil chegaram a US$ 609 milhões, com crescimento de cerca de 50% em relação a julho de 2013.

“Além de movimentar o turismo no País de forma inédita, gerar renda e empregos, os estrangeiros tiveram a certeza de investir em uma experiência turística que trouxe muita satisfação, afinal, a maioria (94,8%) deles afirmou que pretende voltar”, disse o ministro do Turismo, Vinicius Lages, em comunicado divulgado pela pasta.

O gasto de brasileiros no exterior, porém, segue superior: foram mais de US$ 2 bilhões em junho, um crescimento de 4,9% em comparação com o mesmo mês de 2013. O aumento maior das despesas de estrangeiros, no entanto, fez com que o déficit na conta de viagens recuasse 17,3% e encerrasse o mês passado em US$ 1,2 bilhão.

No acumulado do ano, os gastos de estrangeiros no Brasil somam US$ 3,647 bilhões, um avanço de 4,8% em relação ao primeiro semestre do ano passado. Na outra mão, as despesas de brasileiros no exterior totalizam US$ 12,486 bilhões, um acréscimo de 2,27% na mesma comparação.

O déficit na conta de viagens contribui para o saldo negativo em conta corrente registrado pelo País. Em junho, as transações do Brasil com o exterior ficaram deficitárias em US$ 3,3 bilhões, e em 12 meses acumularam saldo negativo de US$ 81,2 bilhões, equivalente a 3,58% do Produto Interno Bruto.

O déficit de junho, porém, foi o menor para o mês desde 2009. Além do aumento dos gastos de estrangeiros no Brasil, contribuiu para este resultado, segundo a Agência Brasil, o superávit comercial de US$ 2,364 bilhões no mês passado, além da menor remessa de lucros e dividendos de empresas no País para fora. Em junho, esses envios totalizaram US$ 1,694 bilhão, contra US$ 2,223 bilhões no mesmo mês de 2013.

Segundo o chefe adjunto do Departamento Econômico do BC, Fernando Rocha, a explicação para a redução nas remessas é o menor lucro das empresas no Brasil por conta da atividade econômica moderada. Há também a influência da taxa de câmbio, que determina em dólares quanto é remetido para o exterior.

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form