logo_anba_pt logo_camera_pt
29/10/2015 - 19:29hs
Compartilhe:

Ministra da Agricultura vai à Arábia Saudita

Kátia Abreu dará sequência às negociações para liberar as exportações de carne bovina brasileira e participará do Fórum Empresarial América do Sul-Países Árabes.



São Paulo – A ministra da Agricultura, Kátia Abreu, vai à Arábia Saudita na próxima semana para dar sequências às negociações para reabertura do mercado às exportações brasileiras de carne bovina e para participar do Fórum Empresarial América do Sul-Países Árabes, nos dias 08 e 09 de novembro, evento que antecede a 4ª Cúpula América do Sul-Países Árabes (Aspa), que será realizada nos dias 10 e 11, em Riad, capital do país.

A nação árabe suspendeu a importação no final de 2012, quando o governo brasileiro anunciou que um animal do rebanho do Paraná, morto em 2010, era portador do agente causador da encefalopatia espongiforme bovina (EEB), o mal da vaca louca, sem ter, no entanto, desenvolvido a doença.

Desde então, representantes dos governos dos dois países realizaram várias reuniões para negociar a retomada das exportações. Em junho, por exemplo, autoridades sauditas estiveram no Brasil para visitar unidades produtoras de carne e para conhecer a fiscalização sanitária brasileira, com o objetivo de embasar decisão sobre o embargo. A expectativa agora é que a negociação avance.

No fórum empresarial, a ministra deverá falar sobre oportunidades de investimentos no agronegócio brasileiro.

Depois da Arábia Saudita, Abreu irá aos Emirados Árabes Unidos e terá reuniões com autoridades e empresários na capital Abu Dhabi. Depois, ela segue para Índia e China.

As exportações do agronegócio brasileiro para a Arábia Saudita somaram US$ 1,52 bilhão de janeiro a agosto, um aumento de 7,25% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo dados do Ministério da Agricultura. Aos Emirados, as vendas do setor renderam US$ 831 milhões, um recuo de 25,5% na mesma comparação.

Diplomacia

Na cúpula Aspa, alguns dos principais temas de discussão, de acordo com fontes do Itamaraty, deverão ser a questão dos refugiados que fogem do conflito na Síria e em outros países da região, e os conflitos em si, ou seja, assuntos considerados de “repercussão internacional”.

No caso dos refugiados, o foco maior hoje está no enorme fluxo de pessoas que tentam chegar à Europa, mas o Brasil, mesmo distante, emitiu mais de 8 mil vistos para pessoas que fogem da guerra civil na Síria e deu status de refugiados para mais de 2 mil.

Outros temas importantes do debate, segundo o Itamaraty, serão energia, segurança alimentar, meio ambiente, desertificação, manejo de recursos hídricos, cooperação Sul-Sul, cooperação na área da saúde e acordos comerciais. Vale lembrar que o Mercosul tem negociações comerciais com vários países árabes e alguns tratados do gênero foram firmados, como com o Egito.

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form