logo_anba_pt logo_camera_pt
14/02/2017 - 07:00hs
Compartilhe:

Octavio de Barros fala de economia na Câmara Árabe

Ex economista-chefe do Bradesco fará uma apresentação sobre os cenários econômicos local e global no café da manhã que a entidade fará com seus associados na próxima quarta-feira (15).



São Paulo – Os rumos da economia mundial após a posse de Donald Trump como presidente dos Estados Unidos será um dos temas que o economista Octavio de Barros abordará em sua apresentação no café da manhã que a Câmara de Comércio Árabe Brasileira organizará com seus associados, na próxima quarta-feira (15), em São Paulo. 

O ex economista-chefe do Bradesco será um dos palestrantes do evento, que ainda trará uma palestra do diretor-geral da Câmara Árabe, Michel Alaby, sobre o cenário econômico dos países árabes, a apresentação do calendário da associação pelo presidente Rubens Hannun e os detalhes de uma missão ao Norte da África, que ocorrerá em abril.

Segundo Barros, sua apresentação pretende traçar um panorama geral sobre os cenários econômico global e doméstico, identificando os riscos para este ano, especialmente com relação às medidas protecionistas e quais impactos elas trazem sobre o crescimento, comércio e investimentos globais.

“É importante construir um cenário sobre a liquidez internacional que advirá da nova política econômica nos Estados Unidos. Depois de oito anos consecutivos de grande afrouxamento monetário, para onde caminhamos? É sustentável a tese de ‘estagnação secular’? Tenho uma visão relativamente pessimista do cenário global”, adianta o economista, que por quinze anos esteve à frente do departamento econômico do Bradesco.

Com relação à economia brasileira, Barros acredita que as reformas imprescindíveis serão aprovadas, o que ajudará a reduzir a percepção de riscos no país. “Com isso as taxas de juros seguirão em trajetória declinante, melhorando a situação financeira das empresas e o poder negocial das mesmas. Entendo que não podemos subestimar o impacto da queda de juros na recuperação da economia brasileira”, diz.

O economista aponta indícios de giro anualizado de 2,5% da economia doméstica no segundo semestre. Segundo ele, o alinhamento do Banco Central com o Ministério da Fazenda tem sido crucial para essa melhora de perspectiva. “As incertezas políticas possivelmente não serão capazes de reverter a recuperação cíclica, por mais complexos que sejam os seus desdobramentos”, projeta.

Barros deixou o Bradesco no fim do ano passado, por se aproximar do limite de idade de executivos previsto pelo estatuto do banco (62 anos, ele tem 61). O economista segue como diretor-executivo do Instituto República, sócio-diretor da B3A e da OMRBarros Consultoria Econômica.

Serviço
Café da manhã com associados
Dia 15 de fevereiro, às 08h30
Local: Câmara de Comércio Árabe Brasileira
Avenida Paulista, 326, 11º andar
Inscrições pelo link http://bit.ly/2lmWSy3
Mais informações pelo telefone (11)3147-4131 ou pelo e-mail members@ccab.org.br

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form