logo_anba_pt logo_camera_pt
12/03/2017 - 07:00hs
Compartilhe:

Um novo tipo de turismo na Palestina

Ali El Khatib, do Instituto Jerusalém do Brasil, viajará ao país árabe para pesquisar informações a fim de desenvolver um roteiro científico-cultural para o turista brasileiro.



MENAHEM KAHANA / AFP

Agricultor de damascos em Battir: irrigação chamou a atenção da Unesco

São Paulo – Um roteiro turístico que vá além da religião e explore os atributos culturais e científicos da Palestina. É com o intuito de levar adiante essa proposta que o diretor superintendente do Instituto Jerusalém do Brasil, o sociólogo Ali El Khatib, desembarcará nas próximas semanas no país, onde visitará cidades, universidades, bibliotecas e museus, dentre outros lugares, para criar um plano alternativo de viagem para brasileiros que querem conhecer a Palestina além do aspecto religioso.

“Jericó é a cidade habitada mais antiga do mundo, com mais de 10 mil anos de idade. A Palestina tem muita história, muitas paisagens bonitas e queremos desenvolver o turismo científico-cultural por ali, para aqueles que não desejam apenas passar pela rota religiosa”, contou El Khatib em entrevista à ANBA.

O sociólogo cita como exemplo a pequena cidade de Battir, um povoado com cerca de 5 mil habitantes situado entre Belém e Jerusalém. Graças a seu sistema de coleta de água para irrigar as plantações em socalcos – muito similar ao usado pelos incas na histórica cidade de Machu Picchu, no Peru –, a cidade foi incluída na lista de patrimônio mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), mas ainda é pouco conhecida pelos brasileiros.

“No ano passado cerca de 100 mil pessoas passaram por Battir”, conta El Khatib, que pretende passar duas ou três noites na cidade para “sentir o clima, a população”. Ela certamente fará parte do roteiro que o sociólogo pretende desenvolver: “Quero também ajudar a economia da cidade com o aumento do turismo: mais trabalho e renda para os habitantes, dar oportunidade a hotéis, bares. Aumentar a visibilidade internacional colabora para proteger esse patrimônio histórico.”

Outro plano de El Khatib é tornar Battir uma cidade-irmã de Jaguariúna, uma cidade localizada a cerca de 100 quilômetros de São Paulo. Ambas possuem linhas férreas históricas, por isso a escolha. Isso ajudaria, segundo ele, a difundir o local no Brasil. “O prefeito de Battir deverá visitar o Brasil no final de abril”, disse.

Deverão fazer parte do roteiro a ser desenvolvido pelo sociólogo também as universidades palestinas. Ele citou três: de Belém, de Jerusalém e de Birzeit.

El Khatib projeta seu retorno ao Brasil no dia 04 de abril, quando deverá se debruçar com afinco sobre o roteiro, que ainda não tem data para ficar pronto. O sociólogo embarca no dia 15 de março, mas antes de ir à Palestina passará alguns dias em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, e na Jordânia.

Nos Emirados, o sociólogo fará uma visita a Masdar, onde estudará o conceito de cidades inteligentes. Sua ideia é ajudar a difundir essa prática no Brasil. “Já há um projeto do tipo em Croatá, no Ceará, mas existe bastante possibilidade de ampliar esse estudo em Campinas (SP), onde existe um polo de alta tecnologia”, disse o sociólogo.

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form