logo_anba_pt logo_camera_pt
11/03/2017 - 07:00hs
Compartilhe:

Em São Paulo, o teatro de um libanês e um palestino

Mostra Internacional de Teatro terá três peças do diretor libanês Rabih Mroué e residência artística com o palestino Ihab Zahdeh. Montagens podem ser vistas a partir de terça-feira (14).



São Paulo – O ator, dramaturgo e artista visual Rabih Mroué, do Líbano, e o diretor e ator Ihab Zahdeh, da Palestina, estarão entre as figuras centrais da Mostra Internacional de Teatro de São Paulo (MITsp), que começa na próxima terça-feira (14), na capital paulista. O libanês tem na programação da mostra três peças de teatro e um workshop. O palestino conduz desde o começo deste mês uma residência artística e também participará de uma mesa redonda sobre o teatro no seu país.

Jeva Griskjane

Peça Tão Pouco Tempo: sobre identidade

A mostra terá oito dias de duração, mas algumas das suas atividades paralelas, como a residência artística, já iniciaram. Em espetáculos serão dez produções, das quais sete internacionais e três nacionais, que poderão ser vistas até 21 de março em oito espaços culturais diferentes em São Paulo. Fazem parte da programação também seminários, lançamento de livros, performances públicas, encontros com artistas envolvidos, entre outros.

A curadora de Ações Pedagógicas da MITsp, Maria Fernanda Vomero, conta que trazer Rabih era um desejo antigo do diretor artístico da mostra, Antônio Araújo. “É um artista de projeção internacional, em constante diálogo com a realidade, não só do Líbano”, afirma Vomero. O artista vive em Berlim, na Alemanha, mas continua envolvido com as questões do Oriente Médio e Líbano, segundo a curadora.

De Rabih estará em cartaz "Revolução em Pixels", uma palestra-performance que trata da documentação, por celulares e redes sociais, dos primeiros acontecimentos da Guerra da Síria. Ele aponta como fotos e vídeos mobilizaram e informaram pessoas. A peça poderá ser vista nos dias 15 e 16 de março, às 21 horas, no Sesc Vila Mariana.

Outra peça de Rabih será "Tão Pouco Tempo", que começa com Lina Majdalanie, mulher do diretor, em um palco escuro, quase vazio, com uma caixa de fotos de um mártir. Ela fala sobre trocas de prisioneiros, restos mortais de soldados e um mártir islâmico ficcional. O objetivo é investigar a relação entre a identificação pessoal e memoriais públicos da guerra. A peça será apresentada nos dias 14 e 15 de março, às 19 horas, no Sesc Vila Mariana.

Sommerszene e Bernhard Mueller

Rabih e Yasser: biografia e realidade

Também com direção de Rabih, poderá ser vista “Cavalgando Nuvens”, com o ator Yasser Mroué, irmão do diretor. Yasser é convidado a desempenhar um papel que se parece com ele. Ferido na guerra civil libanesa, ele começou a gravar vídeos com suas memórias. É uma biografia frágil entremeada pela realidade política. A peça estará em cartaz nos dias 17 e 18 de março, às 19h, e no dia 19 de março, às 18 horas, no Sesc Vila Mariana.

O workshop dado por Rabih é uma reflexão criativa e artística sobre imagens que contam nossa história atual, de acordo com Vomero. Participam 20 atores, diretores, acadêmicos, fotógrafos, cineastas e jornalistas selecionados. O trabalho parte de imagens sobre a realidade brasileira, principalmente do movimento pró e contra impeachment, que se deu no ano passado. As imagens foram escolhidas por Vomero e enviadas a Rabih.  

O palestino Ihab Zahdeh não terá espetáculo na mostra, mas começou no dia 2 de março a dar uma residência artística a 12 atores, músicos e cantores. Todos os anos a MITsp convida um artista, sem espetáculo na mostra, a dar uma residência aos artistas brasileiros. O tema base da mostra deste ano é “Resistência Criativa” e por isso quando o diretor artístico da mostra pediu a Vomero quem simbolizaria isso, ela logo pensou que deveria ser um palestino. A curadora acompanhou os primeiros encontros e afirma que há muita curiosidade sobre o estado atual da Palestina entre os participantes.

Ihab também estará na mesa redonda “Teatro na Palestina: relações entre política e arte”, com a atriz chilena com ascendência palestina Andrea Giadah e com Vomero, que também é pesquisadora em Artes Cênicas e ativista. O encontro terá mediação de Ferdinando Martins e ocorre no dia 18 de março, às 15h, no Teatro da USP.

Os artistas

Divulgação

Ihab Zahdeh: teatro em meio à ocupação

Rabih e Ihab são dois árabes que se destacam no teatro no cenário internacional. Rabih usa teatro, performance e vídeo e seu trabalho é conhecido por circular entre os limites da ficção e do documentário, entre imaginação e manipulação. Conflitos do Oriente Médio, em especial no Líbano, estão entre seus temas principais. Ele é cofundador do Beirut Art Center e diretor do teatro Münchner Kammerspiele, na Alemanha.

Ihab é cofundador e diretor artístico do Yes Theatre, de Hebron. Ihab faz trabalhos de direção, atuação e dramaturgia. Ele já participou de vários workshops, cursos e turnês no exterior. Também passou alguns meses no Japão, como convidado do Tokyo Engeki Ensemble, o que resultou na montagem do espetáculo Mirror.

A MITsp é realizada anualmente desde 2014 por Antônio Araújo e Guilherme Marques, idealizadores da iniciativa. Marques é diretor geral de produção da MITsp. O objetivo da mostra é fazer um recorte do que acontece de mais contemporâneo nas artes cênicas mundiais, em espetáculos e questões urgentes da sociedade. Eles realizam a edição deste ano com o Ministério da Cultura, Banco Itaú e Sesc SP, além de uma série de patrocínios e apoios.

Serviço:
4ª Mostra Internacional de Teatro de São Paulo (MITsp)
De 14 a 21 de março de 2017
Dez espetáculos e 83 ações pedagógicas
Mais informações e programação: http://mitsp.org/2017/

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form