logo_anba_pt logo_camera_pt
14/03/2017 - 07:00hs
Compartilhe:

Receita do turismo cresce 16% na Jordânia

Movimentação do setor chegou a US$ 652 milhões nos dois primeiros meses do ano. Número de turistas aumentou apesar dos conflitos em países vizinhos.



Alexandre Rocha/ANBA

Turistas no local de batismo de Jesus, às margens do Rio Jordão

São Paulo – As receitas da Jordânia com o turismo estão em alta neste início de ano. De acordo com dados divulgados nesta segunda-feira (13) pelo Banco Central do país, o setor movimentou US$ 652 milhões no primeiro bimestre, um aumento de 16,2% sobre os US$ 561 milhões registrados no mesmo período de 2016. As informações são da agência de notícias jordaniana Petra.

Em fevereiro isoladamente, a receitas somaram US$ 284,3 milhões, um crescimento de 21,8% em relação ao mesmo mês do ano passado, quando o total ficou em US$ 233,4 milhões.

Segundo o Banco Central, o número de turistas que pernoitaram no país chegou a 262,5 mil em fevereiro, um aumento de 17% sobre os 224,4 mil visitantes que estiveram na Jordânia no mesmo mês de 2016.

Alexandre Rocha/ANBA

Anfiteatro romano no centro da capital Amã

É boa notícia para um país que tem na atividade turística uma de suas mais importantes fontes de receitas, mas que sofre o impacto dos conflitos na Síria e Iraque. Além do enorme fluxo de refugiados vindos principalmente da Síria, que representam um grande desafio para a economia jordaniana, a situação nos vizinhos afugenta os visitantes e inibe o comércio regional.

Vale lembrar que a Jordânia tem atrações históricas, religiosas e naturais que costumam atrair turistas aos milhões todos os anos, como a antiga Petra, ruínas romanas, o local de batismo de Jesus Cristo, às margens do Rio Jordão, o Mar Vermelho e o Wadi Rum, área protegida com vales desérticos, montanhas, vida selvagem e lar ancestral de beduínos.

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form