logo_anba_pt logo_camera_pt
15/03/2017 - 07:00hs
Compartilhe:

Tunisianos vêm ao Brasil para diplomacia e negócios

Ministro dos Assuntos Estrangeiros Khemaies Jhinaoui visitará São Paulo e Brasília em abril acompanhado de uma delegação de empresários.



São Paulo – O ministro dos Assuntos Estrangeiros da Tunísia, Khemaies Jhinaoui, virá ao Brasil em abril acompanhado de uma delegação de empresários, informou nesta terça-feira (14) o embaixador do país árabe em Brasília, Mohamed Hedi Soltani, durante visita à Câmara de Comércio Árabe Brasileira, em São Paulo.

Alexandre Rocha/ANBA

A conselheira da embaixada Nada Ben Naceur e o embaixador Soltani, na Câmara Árabe

Em Brasília, o chanceler irá participar de reunião da Comissão Mista Bilateral Brasil-Tunísia, fórum periódico em que são discutidos temas de interesse dos dois países em diferentes setores, e serão assinados acordos de cooperação nas áreas de educação, pesquisas científicas, entre as bibliotecas nacionais dos dois países, esportes e economia e comércio.

Em São Paulo, a delegação terá uma programação voltada aos negócios, com a realização de um fórum econômico, rodadas de negócios, reunião do Conselho Empresarial Brasil-Tunísia, entre outras atividades. “Virão empresários de diferentes setores interessados no mercado [brasileiro], tanto importadores como exportadores”, disse Soltani à ANBA.

A Tunísia tem especial interesse em atrair investimentos estrangeiros, pois precisa gerar empregos para um grande contingente de jovens com formação superior que estão sem trabalho. O país passou por um longo processo de transição para a democracia a partir de 2011, mas ainda luta pela retomada econômica.

Com o Brasil, a nação árabe negocia um Acordo de Cooperação e Facilitação de Investimentos (ACFI). Negocia também um tratado de comércio com o Mercosul.

O embaixador lembrou que a Tunísia tem um acordo de associação com a União Europeia desde 1995 e tratados de comércio com países da África, além de boa infraestrutura de acesso a nações vizinhas, o que lhe garante posição privilegiada nestes mercados. Em sua avaliação, empresas brasileiras que se estabelecerem na Tunísia poderão se beneficiar destes acordos.

Soltani comanda a embaixada em Brasília há dois meses. Ele contou que antes de deixar a Tunísia perguntou ao ministro sobre as prioridades nas relações bilaterais, que respondeu: “A prioridade é a economia”. “Ou seja, o comércio e os investimentos”, declarou o diplomata, com ênfase especial nos investimentos.

O embaixador comentou ainda sobre o turismo, atividade de grande importância para a economia tunisiana que nos últimos anos andou em baixa. “Creio que este ano podemos ter um recomeço, já houve uma recuperação no ano passado”, afirmou. Há bastante expectativa em relação aos visitantes europeus. “As premissas são boas”, acrescentou. A alta temporada ocorre nos meses de verão no Hemisfério Norte.

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form