logo_anba_pt logo_camera_pt
27/03/2017 - 07:00hs
Compartilhe:

Mostra apresenta cinema do egípcio Mohamed Khan

Doze filmes de um dos maiores cineastas contemporâneos do Egito poderão ser vistos a partir da próxima quarta-feira no Centro Cultural Banco do Brasil em São Paulo. Khan mostra faceta pouco conhecida da sociedade egípcia.



São Paulo – Uma mostra que começa na próxima quarta-feira (29) vai apresentar um pouco do cinema egípcio contemporâneo aos brasileiros, por meio dos filmes de um dos seus grandes cineastas, Mohamed Khan. O diretor, que morreu no ano passado, é um dos mais premiados do país e considerado um dos fundadores do neorrealismo no cinema local. Doze dos filmes de Mohamed Khan poderão ser vistos no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), na capital paulista, na “1º Mostra de Cinema Egípcio Contemporâneo – Especial Mohamed Khan”. As exibições ocorrem até 10 de abril.

Divulgação

Filme Menina da fábrica está na programação

Khan foi um defensor das causas femininas e é conhecido por filmes polêmicos, que abordam temas sociais e mostram uma sociedade egípcia pouco conhecida. Amro Saad, proprietário da produtora da mostra, a Oriente-se, afirma que Khan faz um cinema realista romântico. Mesmo abordando realidades um tanto duras, ele apresenta uma saída para os seus personagens. “Sempre há uma chance no final, sempre se abre um caminho”, conta Saad.

Uma das produções de Khan que poderão ser vistas em São Paulo é “Menina da fábrica”, que conta sobre Hayam, uma operária da classe média baixa que trabalha em uma indústria e se interessa por um novo supervisor. Os dois têm diferenças sociais, mas ela é correspondida. Uma gravidez, no entanto, a transforma numa pecadora diante de todos, até da família.

Outros filmes da mostra são “Klifety”, que aborda o cotidiano de um homem que sobrevive por meio da malandragem e se relaciona com uma adolescente, e “Encontro no jantar”, sobre uma dona de casa negligenciada pelo marido que pede divórcio e se apaixona por um estilista. O amante é morto pelo marido e a dona de casa vai atrás de vingança.

O filme “Dias de Sadat”, também presenta na mostra, é uma biografia que conta detalhes íntimos da vida do ex-presidente egípcio Anwar Al Sadat, assassinado em 1981. Também serão exibidos, entre outros, “Sonhos de Hind e Camilia”, sobre duas mulheres de classe média baixa tentando fazer com que seus sonhos sobrevivam no Egito na década de 1980, e “Saiu e não voltou”, a respeito de um jovem que vive no subúrbio do Cairo e se muda para o campo.

Filho de um paquistanês e de uma ítalo-egípcia, Khan começou sua carreira no cinema nos anos 1980. Saad, que também é produtor da mostra, afirma que o cineasta era um defensor das minorias e que ajudou a construir uma consciência sobre o Egito, o mundo, a vida. Quando o cineasta morreu, em julho de 2016, Saad decidiu que faria algo sobre Khan, como uma homenagem ao seu trabalho. Foi então que surgiu a ideia da mostra de cinema.

Michael Buckner/Getty Images/AFP

Khan começou carreira nos anos 1980

Essa deve ser uma de várias mostras de cinema de países árabes que serão promovidas pela Oriente-se de agora em diante. A intenção de Saad é apresentar a diversidade e as particularidades do cinema de cada país. “O cinema árabe não é um só, tem muitas particularidades”, afirma. E dentro de cada país também há diferentes vertentes. “O cinema egípcio tem fases, escolas, teorias, diferentes diretores”, exemplifica Saad.

A produtora Oriente-se também tem por objetivo apresentar a cultura árabe em geral para além dos estereótipos, como a dança do ventre, e mostrar as outras formas da representação popular que existem nos países da região. “A cultura árabe tem que ser esclarecida, o Golfo Árabe está unido pelo idioma e cultura, mas há particularidades em cada país”, diz, complementando que o objetivo é limpar esses conceitos.

A Oriente-se tem sede em Brasília, onde mantém um espaço físico, e tem como foco a produção cultural, além de eventos corporativos e sociais. No seu próprio endereço, ela promove atividades como exposições e exibição de filmes. A mostra em São Paulo é promovida pelo CCBB e tem apoio dos ministérios da Cultura do Brasil e do Egito.

Serviço:
1ª Mostra de Cinema Egípcio Contemporâneo - Especial Mohamed Khan
De 29 de março a 10 de abril de 2017
No Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB)
Rua Álvares Penteado, 112 – Centro – São Paulo
Informações: +55 (11) 3113-3651
Ingressos: R$ 10 (meia R$ 5)

Programação: http://culturabancodobrasil.com.br/portal/1a-mostra-de-cinema-egipcio-contemporaneo/

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form