logo_anba_pt logo_camera_pt
25/03/2017 - 19:20hs
Compartilhe:

Cavalos árabes correm no Dia da Comunidade

Em comemoração ao 25 de março, Câmara Árabe patrocinou páreo da raça no Jockey Club de São Paulo. Prova foi vencida por Heron HVP, montado por Everton Pereira.



São Paulo – Depois da inauguração da exposição “Arte a Artesanato no Mundo Árabe” na estação São Bento do metrô, a Câmara de Comércio Árabe Brasileira patrocinou na tarde deste sábado (25) corrida de cavalos árabes no Jockey Club de São Paulo, em Cidade Jardim, na zona sul da capital.

Rodrigo Rodrigues

Ao centro, Crispin recebe troféu de Rubens Hannun

O presidente da entidade, Rubens Hannun, entregou o troféu Clássico Câmara de Comércio Árabe Brasileira a Nielce Crispin, gerente da Agropecuária dos Pinheiros, de Indaiatuba, no interior paulista, proprietária do cavalo vencedor do páreo, Heron HVP, montado pelo jóquei Everton Pereira.

“A corrida faz parte das comemorações do Dia da Comunidade Árabe no Brasil”, disse Hannun, referindo-se ao 25 de março. “Os cavalos árabes também representam muito bem a comunidade”, acrescentou.

Antes da prova houve um desfile com animais e cavaleiros trajados à moda árabe. Assim como a exposição no metrô, o objetivo da Câmara é mostrar diferentes facetas da cultura árabe.

“No metrô, levamos para a população um pouco desta cultura, que muitas pessoas não conhecem. Aqui (no Jockey), estamos comemorando com nossa diretoria”, afirmou Hannun.

Ex-presidente da Câmara Árabe e idealizador da iniciativa, Marcelo Sallum acrescentou que o apoio da entidade a competições da raça é uma forma de divulgar as tradições e a história dos árabes.

Rodrigo Rodrigues

Desfile com trajes típicos antecedeu o páreo

“O cavalo árabe é uma raça que está bem inserida no Brasil e que evoluiu muito, e para a Câmara é importante estar sempre envolvida em todos os tipos de eventos, então nada melhor do que fazer um páreo no 25 de março”, declarou Sallum.

Criador de cavalos e proprietário do segundo colocado na prova, Paulo Saliba disse que são realizados dois páreos da raça por mês no Jockey. “As pessoas gostam de coisas diferentes, então estas corridas chamam a atenção”, contou. “Há corridas de cavalos árabes hoje em 20 países”, comentou. Seu animal chama-se Marei Rach e foi montado por Valdir Souza.

Ele acrescentou que no dia do Grande Prêmio de São Paulo, principal prova do ano no Jockey, em maio, haverá um páreo de cavalos árabes, com o Prêmio Jamil Saliba, em homenagem a seu pai, ex-presidente da Câmara Árabe, morto em 2015. “Espero que [a realização de páreos de cavalos árabes] continue numa crescente, com as corridas cada vez mais populares”, concluiu.

Assistiram à corrida e participaram de almoço oferecido pela Câmara Árabe o decano do Conselho dos Embaixadores Árabes no Brasil, Ibrahim Alzeben, que é embaixador da Palestina, o diretor-geral da entidade, Michel Alaby, o presidente do conselho da instituição, Walid Yazigi, os vice-presidentes Adel Auada (Administrativo) e Ruy Carlos Cury (Comércio Exterior), e os diretores Sílvia Antibas, Daniel Hannun e Mohamed Abdouni.

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form