logo_anba_pt logo_camera_pt
03/04/2017 - 07:00hs
Compartilhe:

Refugiados ganham portfólio online

Site Conectados reúne mais de 160 serviços oferecidos por 115 imigrantes em situação vulnerável. Ideia é estimular o empreendedorismo desses estrangeiros.



Reprodução

Site teve mais de 1 mil acessos em um dia

São Paulo – Entrou no ar na semana passada o site Conectados, um projeto que pretende facilitar a integração de refugiados com a sociedade brasileira por meio de uma espécie de classificados virtual. Desenvolvido pelas ONGs Bela Rua e Conexão Cultural, ambas de São Paulo, o site já contabiliza 115 imigrantes inscritos, e os pedidos de novas adesões não param de chegar.

O Conectados foi um dos ganhadores do Vai Tec, um programa realizado pela Agência São Paulo de Desenvolvimento (AdeSampa) para apoiar financeiramente atividades inovadoras ligadas à tecnologia da informação e comunicação. Segundo Juliana Barsi, diretora executiva da Bela Rua e uma das idealizadoras do projeto, a intenção é estimular o empreendedorismo dos imigrantes em situação vulnerável – eles evitam usar o termo refugiado, tido como preconceituoso por parte desses imigrantes.

“O refúgio é uma condição temporária de um imigrante que veio ao país em busca de algo maior. O site busca ajudar a encontrar o caminho”, explica Barsi. Ela conta que ao vencer o edital do programa da prefeitura de São Paulo, os idealizadores do Conectados receberam R$ 27 mil para programar, desenhar e desenvolver o site, uma espécie de portfólio online de imigrantes.

No site conectados.cc os serviços oferecidos estão divididos em seções como dança, culinária, aulas, artesanato, pintura, música, moda e palestras. Quem se interessar, por exemplo, em receber aulas de percussão ou dança do sírio Hassan Ali, pode clicar no botão “Eu Quero!” que os dados para contata-lo serão exibidos. O mesmo ocorre para os que desejarem encomendar as comidas típicas marroquinas do Mustpha Doumali ou os serviços de estilista, costura e confecção de roupas da síria Antesaar Mousa.

São mais de 160 serviços oferecidos por 115 imigrantes cadastrados – mas o número tende a crescer. “As categorias mais procuradas são culinária e aula de idiomas. Nós ouvimos alguns cadastrados que nos relataram ter um retorno bem positivo, com contatos gerados por meio do site na primeira semana” diz.

Segundo Barsi, os refugiados foram selecionados com a ajuda de instituições que ajudam a promover a integração desses imigrantes com a sociedade brasileira. Alguns simpatizantes indicaram outra parte dos inscritos. Agora, quem quiser se inscrever basta entrar em contato com a equipe do Conectados pelo próprio site, contando um pouco de sua história e informando qual serviço presta.

Tudo é feito de forma gratuita tanto aos imigrantes quanto para os interessados em contratar os serviços. Tanto que o site não intermedia o contato: todo o processo é feito de forma direta. Até por isso, a diretora não consegue quantificar a quantidade de negócios fechados – mas adianta que em um único dia, na primeira semana, o site recebeu mais de 1 mil acessos.

Barsi conta que agora a equipe manterá o site de forma voluntária por um ano, enquanto tentará participar de novos editais para angariar verba para o próximo passo: desenvolver cursos de capacitação para esses imigrantes. “Notamos que muitos já têm alguma noção de empreendedorismo, mas uma grande parte ainda precisa de especialização. E é isso que queremos oferecer, aulas de empreendedorismo, fotografia, idiomas, dentre outras, para ajudar os imigrantes”, finaliza.

Serviço

Conectados
Site: http://conectados.cc/
Facebook: https://www.facebook.com/conect.ados.site/

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form