logo_anba_pt logo_camera_pt
30/03/2017 - 07:00hs
Compartilhe:

Indústria egípcia quer ampliar exportações ao Brasil

Empresa de alimentos Sfii já vende azeitonas ao País, mas pretende comercializar outros produtos, como pimentas e tomates secos. Empresária quer também convidar colegas brasileiras para fórum no Egito.



Alexandre Rocha/ANBA

Yomna El Sheridy visitou a Câmara Árabe

São Paulo – A empresa egípcia Special Foods Industry International (Sfii) quer aumentar suas exportações ao Brasil e sua diretora-gerente, Yomna El Sheridy, está no País para prospectar novos negócios. “Estamos abrindo novos mercados, pois as exportações são estratégicas para o Egito”, afirmou a executiva à ANBA durante visita à Câmara de Comércio Árabe Brasileira, em São Paulo, nesta quarta-feira (29). “Queremos estabelecer contatos diretos no Brasil, sem intermediários, então viemos ver o potencial [do mercado]”, acrescentou. Ela estava acompanhada do cônsul comercial do país árabe na capital paulista, Mohamed Elkhatib.

A companhia produz e exporta alimentos como azeitonas, pimentas, picles, alcachofras e tomates secos. Para o Brasil, por enquanto, a marca só vende azeitonas. De acordo com a empresária, o Egito embarcou 15 mil toneladas de azeitonas ao mercado brasileiro em 2016. “E em dois meses este ano as exportações somaram mais de 50% do total do ano passado”, destacou. As azeitonas foram o segundo produto mais vendido pelo Egito ao Brasil no primeiro bimestre de 2017, segundo dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

Divulgação

Secagem de tomates no Egito

Segundo Sheridy, a Sfii tem dez clientes no Brasil. “É um bom começo”, declarou. Mas ela quer introduzir mais produtos no mercado, como pimentas e tomates secos. “Há um potencial muito sério, é um grande país e temos gostos muito parecidos (egípcios e brasileiros)”, acrescentou. A executiva destacou que só em azeitonas o País importou mais de 100 mil toneladas no ano passado.

Sheridy contou também que a fábrica está instalada numa zona franca destinada a empresas exportadoras, portanto 100% da produção é exportada. “Vendemos para 15 países”, disse, acrescentando que todas as matérias-primas são egípcias.

O mercado externo é uma das prioridades da política econômica egípcia atualmente, pois o país tem grande necessidade de atração de divisas.

O diretor-geral da Câmara Árabe, Michel Alaby, e outros representantes da entidade se reuniram com a empresária e sugeriram participação da empresa na feira da Associação Paulista de Supermercados (Apas), que será realizada de 02 a 05 de maio, na capital paulista. Já há alguns anos a instituição organiza um estande na mostra para expositores árabes.

Reprodução/Facebook

Empresa exporta também pimentões

 Fórum de mulheres

Sheridy é também presidente da ONG Business Women of Egypt 21 (Mulheres de Negócios do Egito 21, em tradução livre), que promove o empreendedorismo entre as mulheres e união entre empresárias.

Ela pretende aproveitar sua estada no Brasil para convidar empresárias brasileiras a participar de um fórum que sua organização irá realizar em fevereiro do ano que vem, denominado “Women for Success” (Mulheres para o Sucesso, em tradução livre).

A ideia, segundo a executiva, é abrir canais de comunicação entre as empresárias dos dois países, trocar informações sobre experiências de sucesso e fazer contatos.

Contatos:

Special Foods Industry International (Sfii)
Yomna El Sheridy
Tel.: +202 3338-9934
E-mail: yomnasheridy@gmail.com
Site: www.sfi-egypt.com
Facebook: www.facebook.com/SpecialFoodsIndustryInternationalCo

Site da ONG Business Women of Egypt 21: www.bwe21.com

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form