logo_anba_pt logo_camera_pt
18/04/2017 - 16:20hs
Compartilhe:

Visto eletrônico pode injetar R$ 1,4 bi na economia

Previsão é do governo brasileiro. Sistema começa a funcionar no final do ano para EUA, Canadá, Austrália e Japão. Arábia Saudita e Catar devem ser incluídos numa segunda fase.



São Paulo – A facilitação de vistos de entrada no Brasil para turistas dos Estados Unidos, Canadá, Austrália e Japão poderá injetar R$ 1,4 bilhão na economia brasileira no prazo de dois anos, segundo previsão do governo. A partir do final de 2017, todo o processo de solicitação e emissão de vistos para visitantes destes países será feita pela internet e a expectativa é que a concessão não demore mais do que 48 horas.

De acordo com nota do governo, numa segunda fase o visto eletrônico deverá ser adotado para turistas da Arábia Saudita, Catar, Índia e China.

“Hoje o turismo representa cerca de 9% do PIB brasileiro. Número dos técnicos do WTTC (sigla em inglês para Organização Mundial de Turismo e Viagens) indicam que, conforme vão diminuindo as restrições ao visto de entrada, os países podem apresentar um crescimento de 5% a 25% em arrecadação”, disse o presidente do Instituto Brasileiro do Turismo (Embratur), Vinicius Lummertz, segundo o comunicado.

O Brasil adota a política da reciprocidade, ou seja, cidadãos de países que exigem vistos de brasileiros também precisam de vistos para entrar no território brasileiro. No entanto, o Brasil tem acordos bilaterais de isenção de vistos com cerca de 90 nações. Recentemente, por exemplo, o País assinou um tratado do gênero com os Emirados Árabes Unidos.

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form