logo_anba_pt logo_camera_pt
17/05/2017 - 07:00hs
Compartilhe:

Câmara Árabe quer fazer festival em supermercado saudita

O presidente da entidade, Rubens Hannun, propôs a realização de uma semana de produtos brasileiros na rede varejista Panda a executivos do grupo Savola, que controla a marca.



Riad – O presidente da Câmara de Comércio Árabe Brasileira, Rubens Hannun, propôs nesta terça-feira (16) a realização de um festival de produtos brasileiros na rede saudita de supermercados e hipermercados Panda. Ele teve reunião com executivos da holding Savola, controladora da cadeia varejista, em Riad, na Arábia Saudita. “Temos interesse em fazer uma semana de produtos brasileiros no Panda”, disse Hannun.

Alexandre Rocha/ANBA

Rubens Hannun (esq.) e o empresário Sulaiman Al-Muhaidib

Além do varejo, o grupo Savola atua no agronegócio, com importação e industrialização de produtos agrícolas. A companhia produz açúcar, por exemplo, e é a maior fabricante de óleos vegetais do Oriente Médio. O CEO da empresa, Rayan Fayez, e o presidente do grupo, Sulaiman Al-Muhaidib, ser reuniram com empresários que integram delegação liderada pelo ministro da Agricultura, Blairo Maggi, em viagem ao Golfo.

“Acho que esta é uma das melhores ideias surgidas aqui hoje”, afirmou Fayez sobre a proposta de Hannun. Muhaidib sugeriu que sejam realizados eventos em lojas nas três principais regiões do país, Dammam, Riad e Jeddah, e que o período do festival seja de duas semanas.

Fayez explicou que o grupo Savola trabalha em três mercados prioritários: Arábia Saudita, Egito e Irã. No caso do açúcar, a empresa abastece 70% do mercado saudita, e a rede Panda, segundo ele, é a maior supermercadista do Oriente Médio. “Estamos sempre explorando novas oportunidades para expandir nossos negócios”, disse o executivo aos empresários brasileiros.

Alexandre Rocha/ANBA

Fayez (C): sempre explorando novos negócios

Ele acrescentou que a maior parte da carne bovina vendida nas lojas Panda é brasileira, mas comentou que a repercussão internacional da Operação Carne Fraca fez com que a empresa aumentasse a compra de produtos de outros fornecedores, como a Nova Zelândia. No entanto, a participação do Brasil segue importante. Fayez disse isso para exemplificar que uma relação meramente comercial está sujeita a instabilidades, daí a importância de parcerias que envolvam investimentos e compromissos de longo prazo.

A operação da Polícia Federal investiga suspeitas de irregularidades em frigoríficos e na atuação de fiscais do Ministério da Agricultura do Brasil.

Os executivos comentaram que o grupo Savola tem investimentos em empreendimentos agropecuários no Arizona, nos Estados Unidos, Argentina, e tem interesse também no Sudão. A empresa controla ainda duas cadeias de fast-food bastante populares na Arábia Saudita e tem participação no Almarai, maior laticínio do país.

Os empresários brasileiros apresentaram seus projetos de investimentos para avaliação dos sauditas. Participou da reunião também Samer Al Solh, gerente sênior de portfólio de investimentos industriais e de infraestrutura da Al Muhaidib. A Al Muhaidib é uma companhia de investimentos e é a maior acionista do grupo Savola. Sulaiman Al-Muhaidib é também seu presidente.

“A Câmara Árabe está à disposição de vocês para facilitar estas negociações”, disse Hannun aos empresários brasileiros e sauditas.

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form