logo_anba_pt logo_camera_pt
24/05/2017 - 07:00hs
Compartilhe:

Cinema da Palestina é tema de palestra

A Cátedra Edward Said promove o evento ‘O tempo da espera: o exílio no cinema palestino’, no dia 29 deste mês em São Paulo. Professor Geraldo Campos aborda a questão do retorno e a produção artística no país árabe.



São Paulo – A produção cinematográfica na Palestina e como ela aborda questões como o retorno dos refugiados e a vida sob ocupação são temas da palestra O tempo da espera: o exílio no cinema palestino que ocorre dia 29 deste mês, na capital paulista. O evento faz parte da programação da Cátedra Edward Said, uma iniciativa em parceria do Instituto da Cultura Árabe (Icarabe) e a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

“O tema principal da palestra é a questão do tempo. Em função da história da ocupação, do sionismo, da violência que expulsou mais de 700 mil palestinos em 1948, a arte palestina criou uma relação muito particular com o tempo”, aponta Geraldo Adriano Campos, que fará a palestra. Campos é professor de Sociologia das Relações Internacionais da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) e diretor da Mostra Mundo Árabe de Cinema do Icarabe.

Campos destaca a questão do retorno dos refugiados como um fator marcante na arte palestina. “Todos os refugiados do mundo têm direito de voltar para sua terra, menos os palestinos”, lembra. Segundo ele, isso faz com que, para os palestinos, o tempo seja marcado pelo provisoriedade.

O professor também ressalta que o chamado cinema palestino é produzido em diferentes condições, envolvendo palestinos que vivem nos territórios ocupados, outros que vivem como refugiados e os que vivem dentro de Israel.

Ele aponta ainda a importância da produção cinematográfica para a visibilidade da questão palestina. “Para um povo que tem que lidar historicamente com a negação (do direito às suas terras), a visibilidade visual tem uma centralidade muito grande”, diz.

Na palestra, Campos abordará as obras de alguns cineastas palestinos como Elia Suleiman, Kamal Aljafari e Larissa Sansour. De acordo com o professor, atualmente, o cinema palestino se financia por meio de recursos do governo e de doadores particulares, além da realização de coproduções com diferentes países, especialmente algumas nações do Golfo, como Emirados Árabes Unidos e Catar, além do Egito, no Norte da África.

Serviço:
Palestra O tempo da espera: o exílio no cinema palestino
Dia 29 de maio, às 17h
Local: Anfiteatro Leitão da Cunha
Rua Botucatu, 740 - São Paulo - SP
Inscrições gratuitas pelo link http://migre.me/wFLlg

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form