logo_anba_pt logo_camera_pt
01/06/2017 - 16:30hs
Compartilhe:

Brasil exportou quase US$ 20 bilhões em maio

Vendas externas cresceram 7,5% sobre o mesmo mês de 2016. Importações somaram US$ 12,131 bilhões, o que resultou num superávit de US$ 7,661 bilhões, recorde mensal.



São Paulo – As exportações brasileiras somaram US$ 19,792 bilhões em maio, um aumento de 7,5% sobre o mesmo mês do ano passado, pela média diária de embarques. Em relação a abril de 2017, porém, houve recuo de 8,4%. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (01) pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

As importações totalizaram US$ 12,131 bilhões no mês passado, um crescimento de 4% em comparação com maio de 2016, pela média diária. Sobre abril de 2017, no entanto, ocorreu um recuo de 7,4%.

Com estes resultados, o saldo da balança comercial brasileira ficou positivo em US$ 7,661 bilhões, um avanço de 19,1% em relação a maio de 2016. O número é recorde mensal, segundo a Agência Brasil.

De acordo com o MDIC, as exportações de semimanufaturados cresceram 16,4% no mês passado, principalmente de semimanufaturados de ferro ou aço, açúcar bruto, ferro fundido, celulose, madeira serrada e couros.

As vendas externas de produtos básicos aumentaram 11,6%, impulsionadas por milho, petróleo bruto, minério de cobre, minério de ferro, café e soja.

No caso dos itens manufaturados houve uma queda de 1,2%, especialmente nos embarques de motores e geradores elétricos e de polímeros plásticos.

As exportações de produtos brasileiros avançaram para a América Central e Caribe (36,8%), África (23,9%), Estados Unidos (21,6%), Oriente Médio (18,2%), Mercosul (16,8%) e Ásia (16,2%). Caíram, porém, para a Oceania (-10,7%) e para a União Europeia (7%).

Os embarques ao Oriente Médio renderam US$ 890 milhões em maio. O crescimento das vendas foi impulsionado por produtos como açúcar, milho, farelo de soja, chassis com motor, laminados planos, tubos de ferro fundido, minério de ferro, motores e geradores elétricos, e tratores.

Importações

Na outra mão, cresceram as importações de combustíveis e lubrificantes (30,2%), bens de consumo (20,2%) e bens intermediários (1,5%), mas recuaram as compras de bens de capital (-20,7%).

Cresceram as importações de produtos da Oceania (241%), Mercosul (17%) e Ásia (9,7%), mas caíram as da América Ventral e Caribe (-32,5%), África (-9,4%), Oriente Médio (-8%), União Europeia (-6,1%) e Estados Unidos (-2,3%).

As compras do Oriente Médio somaram US$ 365 milhões. Houve queda em função de itens como gás natural, querosene de aviação, óleos combustíveis, adubos e fertilizantes, ureia, inseticidas, compostos heterocíclicos (insumos químicos), cloreto de potássio e medicamentos.

Acumulado

No acumulado de janeiro a maio, as exportações brasileiras totalizaram US$ 87,932 bilhões, um aumento de 18,5% sobre o mesmo período do ano passado, pela média diária.

As importações somaram US$ 58,9 bilhões, um crescimento de 8,4% na mesma comparação. Com isso, a balança comercial registrou superávit de US$ 29,032 bilhões nos cinco primeiros meses de 2017, ou 47,5% a mais do que no mesmo período de 2016. O saldo é recorde para o período, de acordo com a Agência Brasil.

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form