logo_anba_pt logo_camera_pt
23/06/2017 - 16:22hs
Compartilhe:

Curitiba terá arraial com comida árabe

A 15ª edição da Festa Junina Árabe será realizada neste final de semana, na Igreja Ortodoxa Antioquina São Jorge, de Curitiba. Culturas árabe e brasileira são misturadas, da esfiha ao quentão.



Divulgação

Festa será no pátio da Igreja Ortodoxa Antioquina São Jorge, em Curitiba

São Paulo – As bandeirinhas coloridas, as barracas, o bingo e até o tradicional quentão das quermesses que invadem o Brasil durante todos os meses de junho farão parte da festa. Mas as comidas que serão vendidas no arraial promovido pela Igreja Ortodoxa Antioquina São Jorge, de Curitiba, no Paraná, fazem parte das culinárias síria e libanesa.

A Festa Junina Árabe chega à sua 15ª edição este ano, com expectativa de receber 12 mil pessoas. O evento, que conta com a colaboração de cerca de 50 voluntários que são frequentadores da igreja – incluindo alguns refugiados –, cresceu muito após o sucesso alcançado no ano passado, quando contou com intensa divulgação. Na ocasião, 10 mil pessoas compareceram, surpreendendo a organização – que não esperava tanta gente.

“Para esta edição, nós dobramos a quantidade de comida e aumentamos o número de caixas para trocar o dinheiro por fichas”, conta o padre Samaan Nasry. Esfihas, kibes, shawarmas, falafels, kafta grelhada e doces como namura e ataief serão alguns dos quitutes à venda nas barraquinhas da festa, que tem entrada gratuita. “São comidas típicas da Síria e do Líbano. Apesar de que a esfiha e o kibe já fazem parte da culinária brasileira, pois são encontrados em muitos lugares”, afirma o sírio.

Divulgação

São esperadas 12 mil pessoas nos dois dias de festa

Todo o dinheiro arrecadado será revertido para o fundo da igreja, que, entre outras coisas, ajuda refugiados no Paraná. O próprio Nasry é um refugiado: teve que sair de Raqqa, na Síria, após sua paróquia ser destruída por tropas do Estado Islâmico. “Cheguei em São Paulo em outubro de 2013, onde morei por seis meses. Depois vim para Curitiba, onde fui bem acolhido”, conta.

Segundo o padre, o acolhimento dos árabes pelos brasileiros, algo que vem desde as primeiras imigrações, é um dos motivos que fizeram com que a igreja curitibana criasse a festa junina árabe, que mistura aspectos culturais dos dois povos. “As primeiras gerações trouxeram o kibe e a esfiha. Agora estão trazendo a shawarma e o falafel. Os brasileiros abriram as portas para o povo árabe e essa mistura de culturas é muito boa”, avalia.

Toda a estrutura será montada no pátio da igreja, aberto ao público. As barracas aceitarão dinheiro e cartões de crédito e débito e as portas serão abertas a partir do meio-dia no sábado (24) e após a missa do domingo (25).

Serviço
15ª Festa Junina Árabe
Local: Igreja Ortodoxa Antioquina São Jorge de Curitiba
Endereço: Rua Brigadeiro Franco, 375 – Mercês, Curitiba (PR)
Horário: das 12h às 22h no sábado (24) e após a missa até as 22h no domingo (25)
Entrada gratuita

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form