logo_anba_pt logo_camera_pt
09/07/2017 - 07:00hs
Compartilhe:

Unicamp terá cátedra sobre refugiados

Universidade Estadual de Campinas trabalha pela implementação da Cátedra Sérgio Vieira de Mello, do Acnur. Objetivo é promover debate e produção de conhecimento sobre o tema, além de subsidiar políticas públicas.



São Paulo – A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) está trabalhando pela implementação de uma cátedra voltada ao tema do refúgio. A iniciativa fará parte da Cátedra Sérgio Vieira de Mello, que já existe no Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) e da qual participam 16 universidades brasileiras.

Antoninho Perri/Ascom/Unicamp

Baeninger: subsidiar políticas públicas

A Unicamp deve assinar em agosto um acordo com o Acnur que criará oficialmente a cátedra na instituição. As informações são da presidente do grupo de trabalho da cátedra na universidade, Rosana Baeninger. Ela está à frente da equipe que elabora um plano de ação para a iniciativa, a ser enviado para aprovação do Acnur em julho.

Na Unicamp, o grupo de trabalho é interdisciplinar, ligado ao gabinete do reitor e integrado também por órgãos do governo local e regional. Fazem parte do grupo a Agência Metropolitana de Campinas, que é do estado, e a Secretaria Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência e Cidadania. O propósito é que a cátedra subsidie políticas públicas.

A cátedra deve estimular o debate e a produção de conhecimento sobre os refugiados. Baeninger afirma que o grupo de trabalho não vai atuar apenas dentro da universidade, vai também acolher os refugiados e fazer uma ponte com a sociedade.

O plano de ação da cátedra ainda não está todo fechado, mas deve englobar propostas como a ampliação do ensino de português para refugiados, oficinas voltadas para eles, a oferta de disciplinas sobre migração internacional na universidade, o estímulo a palestras e seminários que mostrem a situação dos imigrantes e refugiados, além da motivação a estudos e produção de conhecimento científico sobre o tema na instituição.

A presidente do grupo de trabalho é socióloga, tem mestrado e doutorado na área pela Unicamp, além de pós-doutorado na Universidade da Califórnia. Atualmente ela é professora na universidade de Campinas, coordenadora e pesquisadora do Núcleo de Estudos de População, secretária geral da Associação Brasileira de Estudos Populacionais e coordenadora do Observatório das Migrações em São Paulo, além de outras atividades. 

A nome da Cátedra do Acnur é uma homenagem ao brasileiro Sérgio Vieira de Mello, que trabalhou na Organização das Nações Unidas e foi Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos. Ele foi morto como vítima de atentado no Iraque em 2003.

Como primeira iniciativa do grupo será aberta em 03 de julho, na Biblioteca Central da Unicamp, a exposição fotográfica “Somos Todos Imigrantes”. A mostra é composta por imagens de refugiados atendidos pela Missão Paz, da Igreja Católica, e ficará aberta até o dia 31 de julho. A visitação é gratuita e pode ser feita de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 22h30.

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form