logo_anba_pt logo_camera_pt
03/07/2017 - 07:00hs
Compartilhe:

Jovens brasileiros disputam competição em Abu Dhabi

Grupo com 50 estudantes de profissões técnicas e de serviços participam da WorldSkills Competition entre 14 e 16 de outubro nos Emirados. Na última edição, Brasil obteve maior número de medalhas.



São Paulo – Um grupo com 50 jovens brasileiros vai participar da WorldSkills Competition, uma competição de profissões técnicas e de serviços que ocorrerá de 14 a 16 de outubro em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. A disputa acontece a cada dois anos promovida pela organização mundial WorldSkills, que congrega instituições e organizações de 76 países.

Divulgação

WorldSkills Competition 2015: em São Paulo

Na última edição, que ocorreu na cidade de São Paulo, os brasileiros tiveram o maior número de medalhas e foram os vencedores da WorldSkills Competititon. A disputa envolve 50 tipos de profissões técnicas e o Brasil terá competidores em todas neste ano, de acordo com as informações do gerente de Olimpíadas e Concursos do Senai, José Luis Gonçalves Leitão.

Entre os estudantes que participarão em Abu Dhabi, 44 são de cursos do Senai e seis do Senac. O Senai, que é o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, fez a seleção para as profissões técnicas, e o Senac, que é o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial, para as profissões de serviços. Cada instituição fez um processo seletivo para escolher os competidores.

Entre as categorias do WorldSkills estão manutenção de aeronaves, tecnologia automobilística, padaria, pintura de carros, carpintaria, cozinha, instalações elétricas, eletrônica, cabelereiro, jardinagem paisagística, engenharia de tingimento de plástico, polimecânica e automação, soldagem, colocação de azulejo de parede e piso, pedreiro e arte de games em 3D.

Os competidores do Brasil tiveram seus nomes anunciados no ano passado e em janeiro deste ano começaram a treinar para a disputa, o que seguirá ocorrendo até outubro, de acordo com Leitão. No caso do Senai, esse treinamento acontece em cinco unidades, três em Brasília, uma na cidade catarinense de Joinville e uma na capita gaúcha, Porto Alegre.

De acordo com Leitão, o objetivo da WorldSkills Competition é mostrar a importância das profissões técnicas e de serviços para os jovens e valorizar essas atividades. Ele lembra que elas são importantes para o desenvolvimento econômico de todos os países. “Não conheço um aluno que tenha participado e não tenha seu emprego garantido”, afirma o gerente, sobre a importância da competição para abrir portas profissionais a esses talentos.

Viajar para o exterior e para os Emirados será algo inédito na vida desses jovens brasileiros também. Leitão afirma que no Brasil a atividade tecnológica está relacionada a faixas da população não privilegiadas, mas que essa não é uma realidade em todos os países.

O gerente de Olimpíadas e Concursos do Senai ressalta o alto nível dos competidores brasileiros. O Brasil ter sido campeão em 2015 foi resultado de trabalho de longo tempo, de seis a sete anos, segundo Leitão. Foram algumas edições com segundo e terceiro lugares até chegar ao primeiro. O gerente ressalta também o treinamento para a competição, de 10 meses, e a importância dos treinadores para que os estudantes alcancem os padrões mundiais.

A competição é formada por uma prova em cada área, elaborada em sigilo. Os jovens só tomam conhecimento do desafio na hora dele. Leitão conta que a prova é prática, mas demanda conhecimento teórico como interpretação de texto, matemática, ou outros, para resolver os problemas propostos. As máquinas e insumos usados nas provas são de marcas mundiais patrocinadoras. Nem todas estão presentes no Brasil.

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form