logo_anba_pt logo_camera_pt
28/07/2017 - 18:50hs
Compartilhe:

Mercado saudita é prioritário para arrozeiros brasileiros

Projeto de promoção comercial do setor definiu a Arábia Saudita como um dos países que serão alvos de ações em 2018 e 2019.



São Paulo – O projeto de promoção do arroz brasileiro no exterior Brazilian Rice definiu oito mercados como prioritários para a realização de ações em 2018 e 2019, entre eles a Arábia Saudita, segundo in formações divulgadas nesta sexta-feira (28). O programa é resultado de um convênio entre a Associação Brasileira da Indústria do Arroz (Abiarroz) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Divulgação

Reunião em Porto Alegre definiu prioridades do convênio

De acordo com comunicado do projeto, entre as ações a serem desenvolvidas em relação aos mercados prioritários estão missões comerciais, participações em feiras, rodadas de negócios, capacitação de exportadores e iniciativas para eliminação de barreiras.

Segundo dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), as exportações de arroz do Brasil à Arábia Saudita somaram US$ 2,67 milhões no primeiro semestre, um aumento de 15,5% sobre o mesmo período do ano passado. Foram embarcadas 5,3 mil toneladas, um crescimento de 15,2% na mesma comparação.

O arroz é amplamente utilizado em pratos típicos sauditas e na culinária árabe em geral.

De acordo com o comunicado do convênio, Arábia Saudita, Estados Unidos, Peru, Panamá e Reino Unido são países que já importam arroz brasileiro, mas têm potencial para comprar mais. Nestes casos, o projeto irá realizar ações de promoção comercial.

Outros três mercados – Colômbia, México e China – restringem de alguma forma a entrada do produto do Brasil. Os objetivos do convênio aí são a remoção de barreiras e o acesso aos mercados.

O comunicado informa ainda que as prioridades foram definidas em reunião realizada em Porto Alegre, da qual participaram representantes de mais de 20 empresas do projeto. Segundo a nota, 78% das exportações brasileiras de arroz são de companhias que integram o convênio.

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form