logo_anba_pt logo_camera_pt
26/08/2017 - 07:00hs
Compartilhe:

Descendente de libaneses abre hamburgueria árabe

A Souk Burger foi inaugurada em junho em Pinheiros, na capital paulista. Hambúrgueres de kibe, kafta e babaganush são acompanhados de outros itens tipicamente árabes.



André Barros/ANBA

Tarik Bechara Leal é descendente de libaneses

São Paulo – Hambúrguer de kibe, kafta, cordeiro e até de babaganush compõem o cardápio da Souk Burger, a primeira hamburgueria árabe de São Paulo, aberta em junho no bairro de Pinheiros. Idealizada pelo neto de libaneses Tarik Bechara Leal, a lanchonete oferece itens tradicionais da culinária árabe no formato de sanduíche.

As proteínas da cozinha árabe viraram um hambúrguer. Os temperos, como tahine e zátar, se transformaram em maioneses. Outros ingredientes comuns, como a coalhada seca e o tabule, são parte do recheio dos sanduiches vendidos na Souk Burger. Até as sobremesas têm inspiração árabe, como o pudim de pistache, sucesso nesse início de operação.

“Costumo dizer que a culinária árabe é ‘sanduichável’. Os pratos têm pão, proteína e uma pasta. Então pensei: por que não transformar isso em hambúrgueres?”, conta Leal, um administrador de empresas que, antes de abrir o restaurante, não tinha experiência em culinária. “Mas eu sempre quis ter um negócio e idealizava um restaurante de comida árabe”, diz.

Reprodução/Facebook

O Babaganoo traz um hambúrguer feito com base na pasta de beringela

Em busca de seu objetivo inicial, inspirado nas receitas que a sua tia Magui fazia nos almoços de família, Leal se matriculou em um curso de técnicas básicas de gastronomia no Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). A ideia era unir o aprendizado com os conhecimentos de sua formação e montar um restaurante árabe.

Durante o curso, porém, foi tendo contato com diversas pessoas que pensavam abrir uma hamburgueria, negócio que está na moda na capital paulista. A oportunidade de negócio ficou em sua cabeça até que, concluído o curso, teve o estalo de juntar o hambúrguer com a comida árabe. “Queria fugir do comum”, afirma o descendente de libaneses.

Surgiram, então, sanduíches como o que leva o nome de casa (hambúrguer de kibe com cebola caramelizada, tabule e maionese de tahine no pão brioche de cardamomo), o Middle East (hambúrguer de kafta com picles de cebola roxa, coalhada seca, queijo prato e alface no pão brioche de cardamomo) e a opção vegetariana Babaganoo (hambúrguer de babaganush, a pasta de berinjela, com tomates confitados, crispy de alho poró, creme de queijo de cabra e alface no pão australiano).

Reprodução/Facebook

Hambúrguer de kafta e coalhada seca são ingredientes do Middle East

“Para desenvolver os sanduíches e o cardápio tive ajuda do consultor Cássio Prados, que foi meu professor no curso do Senac”, conta o proprietário da Souk Burger. Entre as opções de sobremesa, o ataif, o doce de nozes tradicional árabe, ganhou o nome de Toife da Magui, uma homenagem à sua tia. Nem os drinques escaparam da influência árabe: todos são feitos a partir do arak.

Leal diz estar satisfeito com o movimento dos primeiros meses – já recebeu até a visita de árabes, que gostam e fazem questão de conversar com o idealizador da primeira hamburgueria do gênero que se tem conhecimento: “Pesquisei bastante e não encontrei nenhum conceito parecido em lugar algum. Acho, então, que é a pioneira”, diz.

Apesar de majoritariamente inspirado em culinária árabe, o cardápio inclui também opções de hambúrguer de carne de angus e até de cogumelos, outra opção vegetariana. Segundo o descendente de libaneses, a ideia é oferecer também opções para quem não se sente tão atraído pela comida árabe.

Serviço

Souk Burger
Rua Mateus Grou, 182 – Pinheiros, São Paulo (SP)
Aberto de terça a sexta-feira, das 12h às 15h e das 18 às 23h; sábados, das 12h às 0h; e domingos, das 12h às 23h.
Mais informações: http://www.soukburger.com.br

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form