logo_anba_pt logo_camera_pt
02/09/2017 - 07:00hs
Compartilhe:

Ras Al Khaimah quer atrair setor de rochas do Brasil

Executivos da zona econômica do emirado conversaram com representantes da indústria brasileira e mineira de rochas ornamentais nesta sexta-feira em Belo Horizonte.



São Paulo – Executivos da Zona Econômica de Ras Al Khaimah (Rakez), dos Emirados Árabes, convidaram o setor de rochas ornamentais do Brasil e do estado de Minas Gerais para criar bases em Ras Al Khaimah. Eles tiveram encontro nesta sexta-feira (01) na sede da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) com representantes do segmento.

Alessandro Carvalho/Fiemg

Barakat: pacote personalizado para o setor

O diretor comercial da Rakez, Izzat Barakat, apresentou a disposição da zona econômica de oferecer um pacote personalizado para levar as empresas do segmento a se instalarem no local. A Rakez é o órgão que controla a Zona Franca de Ras Al Khaimah (RAK FTZ), onde estão instaladas 13 mil companhias de 100 países, entre elas 16 brasileiras.

Barakat e o gerente de Desenvolvimento de Negócios, David Zabinsky, tiveram reunião com o presidente do Sindicato Intermunicipal das Indústrias de Beneficiamento de Mármores, Granitos e Rochas Ornamentais no Estado de Minas Gerais (SinRochas), José Balbino Maia de Figueiredo, e o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Rochas Ornamentais (Abirochas), Reinaldo Dantas Sampaio.

Também participaram do encontro outros representantes do Sistema Fiemg e o executivo de Negócios da Câmara de Comércio Árabe Brasileira, Rafael Solimeo. Na quinta-feira, eles apresentaram a zona econômica para empresários em um seminário que também teve palestra do diretor geral da Câmara Árabe, Michel Alaby, sobre negociação com os árabes.

Alessandro Carvalho/Fiemg

Reunião ocorreu na sede da Fiemg

De acordo com informações divulgadas pela Fiemg, no encontro desta sexta-feira Balbino falou ao grupo sobre a indústria de rochas ornamentais do estado e os serviços da federação para impulsionar as exportações mineiras, como o Expand. O programa habilita empresas para a expansão internacional em países estratégicos.

“Nossa missão é dar suporte e apoio às empresas brasileiras que pretendem se instalar em nossa zona econômica. O Brasil tem grande potencial nos Emirados Árabes. A indústria brasileira precisa divulgar melhor seus produtos, estar com os produtos nas prateleiras lá”, recomendou Izzat Barakat, segundo material divulgado pela Fiemg.

No encontro, Barakat também se mostrou disposto a apresentar representantes da indústria de rochas para autoridades de Ras Al Khaimah. De acordo com informações dos executivos da Rakez, repassadas à ANBA por Solimeo, Ahmed bin Saqr Qasimi, presidente da Rakez e membro da família governante de Ras Al Khaimah, visitará o Brasil durante o próximo ano.

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form