logo_anba_pt logo_camera_pt
06/09/2017 - 17:35hs
Compartilhe:

Exportações de veículos crescem 58%

Segundo a Anfavea, receitas com embarques alcançaram US$ 1,46 bilhão no mês passado e US$ 10,3 bilhões no acumulado do ano. Entidade revisou para cima projeções para 2017.



São Paulo – As exportações da indústria automotiva brasileira registraram um novo resultado positivo em agosto, quando as receitas com as vendas externas alcançaram US$ 1,46 bilhão. O resultado superou em 58,2% o do mesmo mês do ano passado e ficou 3,3% acima do registrado em julho de 2017, informou a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) nesta quarta-feira (06).

No acumulado do ano, entraram nos cofres das montadoras e fabricantes de máquinas agrícolas brasileiras US$ 10,272 bilhões, valor 53,2% acima do registrado de janeiro a agosto do ano passado.

Em volume, os embarques somaram 66,6 mil unidades no mês passado, um avanço de 61,7% sobre igual mês de 2016 e 1,6% acima de julho. De janeiro a agosto, a indústria exportou 506 mil veículos, crescimento de 56,1% em relação ao mesmo período do ano passado.

“O crescimento extraordinário mostra os esforços das empresas com a busca de mercado e o aperfeiçoamento dos acordos comerciais com outros países. O setor tem mostrado que tem papel importantíssimo dentro da produção. Mesmo com a recuperação do mercado interno, a gente espera que continue com os patamares importantes de exportação”, declarou o presidente da Anfavea, Antonio Megale, à Agência Brasil.

As vendas internas até agosto somaram 1,42 milhão de unidades, acréscimo de 5,3% sobre o resultado de 2016. Isoladamente no mês, os brasileiros consumiram 216,5 mil veículos, alta de 17,2% sobre julho e de 17,8% sobre igual mês do ano passado.

A produção cresceu 25,5% no acumulado do ano, para 1,75 milhão de veículos, e em agosto somou 260,2 mil unidades, avanço de 45,7% na comparação com agosto do ano passado e de 15,4% em relação a julho. Foi o melhor mês em produção desde novembro de 2014.

Revisão para cima

Com o resultado até agosto em mãos, a entidade reviu suas previsões para o ano. Para as exportações, as estimativas são enviar a outros mercados 745 mil veículos, um crescimento de 43,4% sobre 2016, contra 705 mil unidades da projeção anterior, que representaria avanço de 35,6%. Em valores, os números mudaram de US$ 13,9 bilhões para US$ 15,1 bilhões.

Também foram alteradas as projeções para vendas no mercado doméstico, passando de 2,133 milhões de unidades, alta estimada de 4%, para 2,2 milhões de veículos, que representaria um crescimento de 7,3%. A estimativa de produção, por sua vez, saltou de 2,619 milhões para 2,7 milhões de unidades, subindo o percentual de crescimento esperado de 21,5% para 25,2%.

Segundo o presidente, as novas previsões demonstram que a indústria caminha para um cenário de retomada, mesmo considerando baixas as bases de comparação de 2016. “O que precisamos agora é de estabilidade no quadro econômico para que os consumidores e investidores aumentem a confiança e o País como um todo entre em uma rota de aceleração da atividade econômica”, afirmou Megale, em nota.

*Com informações da Agência Brasil

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form