logo_anba_pt logo_camera_pt
15/09/2017 - 07:00hs
Compartilhe:

Refugiados disputam torneio de futebol em São Paulo

Dezesseis seleções participam da 4ª edição da Copa dos Refugiados, que terá sua primeira rodada no sábado (16). A grande final será no estádio do Pacaembu no dia 24.



São Paulo – O pontapé inicial da 4ª Copa dos Refugiados será dado nesse sábado (16), às 10 horas, na zona leste de São Paulo. Organizada pela ONG África do Coração, com apoio da Agência da ONU para Refugiados (Acnur), da Caritas Arquidiocesana de São Paulo e do Serviço Social do Comércio (Sesc), a competição de futebol contará dessa vez com 16 equipes, reunindo cerca de 250 jogadores.

Reprodução/Facebook

Netshoes cedeu os uniformes da competição

Iraque, Marrocos e Síria serão as três nações que representarão o mundo árabe na competição, que também será disputada por refugiados de Angola, Benin, Camarões, Colômbia, Congo, Gâmbia, Gana, Guiné, Guiné Bissau, Mali, Nigéria, Tanzânia e Togo. As rodadas são eliminatórias e serão disputadas em três dias diferentes.

Jean Katumba, um dos coordenadores do evento, explicou a redução de tamanho comparado com o ano passado – 27 equipes e mais de 300 atletas disputaram a terceira edição. “Tivemos em julho a Copa da Integração, que reuniu equipes misturadas, de diferentes gêneros e nacionalidades. Somando as duas, a participação deste ano foi até maior.”

Nesta quarta edição, a Copa dos Refugiados terá pela primeira vez patrocínio privado, segundo Katumba. “A Netshoes fornecerá os uniformes e a Sodexo bancará a alimentação dos jogadores”, afirmou ele, um refugiado congolês que participou da organização de todas as edições da competição. Segundo o Acnur, o apoio das empresas foi além da esfera da responsabilidade social: elas se engajaram na proposta e contribuíram com a integração dos refugiados no País. A Sodexo, por exemplo, emprega 60 refugiados e imigrantes em suas unidades pelo Brasil.

E.Capozoli/ACNUR/Divulgação

Seleção iraquiana disputará mais uma vez o torneio

Outro apoio importante foi da prefeitura de São Paulo, por meio de três secretarias: de Esportes e Lazer, dos Direitos Humanos e das Relações Internacionais. Graças a isso, a grande final será realizada no estádio do Pacaembu, às 15 horas do dia 24, um domingo. “Eles nos cederam o estádio, sem custos”, disse Katumba.

A administração municipal cedeu também os outros estádios onde serão realizados os jogos: o Centro Esportivo, Recreativo e Educativo do Trabalhador (Ceret), no Tatuapé, zona leste da cidade, que receberá a primeira fase no sábado (16), e o Estádio Municipal Jack Marin do Parque da Aclimação, na região central da cidade, sede da segunda fase da competição no domingo (17).

A participação do público é gratuita e serão aceitas doações de alimentos não perecíveis, que serão distribuídos a pessoas refugiadas em situação de vulnerabilidade. Katumba espera receber público de 25 mil pessoas, somados os três dias de competição.

“Estamos muito animados com mais essa edição. Queremos mostrar que a comunidade de refugiados está no Brasil para ajudar a economia a crescer e trazer alegria para o povo local, ao contrário do que muita gente ainda acha”, ressaltou.

As outras três edições da Copa dos Refugiados foram realizadas também em São Paulo. Nigéria, Camarões e Congo, na ordem, foram os campeões dos últimos anos.

Serviço

4ª Copa dos Refugiados
Primeira rodada: sábado (16), a partir das 10 horas no Ceret (Rua Canuto de Abreu, s/n°, Tatuapé)
Segunda rodada: domingo (17), a partir das 10 horas no Estádio Jack Marin (Rua Muniz de Souza, 1119 - dentro do Parque da Aclimação)
Final: dia 24 de setembro no Estádio Municipal do Pacaembú, a partir das 14 horas.
Mais informações: Evento do Facebook

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form