logo_anba_pt logo_camera_pt
30/09/2017 - 07:00hs
Compartilhe:

Azerbaijão quer ampliar negócios com o Brasil

Embaixador Elkhan Polukhov procurou a Câmara Árabe para trocar informações sobre comércio e investimentos, dada a proximidade cultural e territorial do país do Cáucaso com nações árabes.



São Paulo – O embaixador do Azerbaijão em Brasília, Elkhan Polukhov, visitou esta semana a Câmara de Comércio Árabe Brasileira, em São Paulo, onde foi recebido pelo diretor-geral Michel Alaby. Ele quer apoio na promoção de negócios bilaterais. Embora seu país não seja árabe, o diplomata disse que procurou a entidade por causa da proximidade cultural e territorial com as nações do Oriente Médio.

Alexandre Rocha/ANBA

Polukhov: Azerbaijão tem muito em comum com países árabes

“Temos muito em comum, a cultura, populações [majoritariamente] muçulmanas, uma cooperação muito próxima com a Liga dos Estados Árabes e um diálogo político e econômico intenso em Brasília”, afirmou o embaixador à ANBA. “Acreditamos que a Câmara pode ser uma boa e confiável fonte de informações para construirmos parcerias e relações de negócios com o Brasil”, acrescentou.

Polukhov contou que seu país é principalmente produtor e exportador de petróleo e gás, mas há interesse em diversificar a economia para reduzir a dependência no setor. “O Brasil tem um grande potencial de mercado para produtos do Azerbaijão”, destacou. “Nós acabamos de registrar a marca ‘Made in Azerbaijan’”, observou.

Entre os produtos que o país do Cáucaso pode oferecer estão alimentos, principalmente orgânicos e industrializados, segundo o embaixador. Ele acrescentou que existe também o projeto de construção de uma indústria para a produção de químicos a partir do petróleo, incluindo fertilizantes. “Como o Brasil é um grande país agrícola, pode ter interesse”, comentou.

De janeiro a agosto de 2017, o Brasil exportou o equivalente a US$ 69,6 milhões ao Azerbaijão, um aumento de 876% sobre o mesmo período de 2016. As importações, porém, somaram apenas US$ 168 mil nos oito primeiros meses deste ano. Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços do Brasil (MDIC). Dado o desequilíbrio da balança comercial, o embaixador quer fazer um esforço para apresentar os produtos de seu país ao mercado brasileiro.

Na outra mão, Polukhov disse que há interesse na ampliação da importação de mercadorias brasileiras, como carnes bovina e de frango, e aviões da Embraer. De acordo com o diplomata, seu país já comprou seis aeronaves da companhia brasileira. Ele acrescentou que há potencial para venda de produtos halal, que são aqueles preparados de acordo com a tradição muçulmana. “Somos um país secular, mas como a população é muçulmana, o consumo de produtos halal é muito alto”, afirmou.

O embaixador disse também que seu país está interessado em atrair empresas brasileiras para projetos locais, seja para produção conjunta de produtos agropecuários e outros, investimentos em infraestrutura, cooperação para transferência de tecnologias nestas áreas, formação de joint-ventures e outras opções.

“Nós estamos geograficamente localizados no cruzamento da Europa, China, Índia, Rússia, Irã e a Ásia Central. Nossos produtos são bem divulgados nestas regiões e conhecidos por sua qualidade”, destacou o diplomata. O Cáucaso fica entre o Mar Negro e o Mar Cáspio, e separa a Europa Oriental da Ásia Ocidental.

O embaixador ressaltou que o Azerbaijão tem um grande volume de negócios com os países árabes em áreas como a indústria petrolífera e na exportação de carnes. “Temos também investimentos de diferentes países árabes em construção e logística, entre outros projetos”, contou.

Turismo

O turismo é outra área que o embaixador pretende promover. “As pessoas podem ir ao Azerbaijão para ver monumentos antigos, a mistura das culturas ocidental e oriental e nova atrações. O fluxo de turistas cresceu muito nos últimos dois anos e em 2018 esperamos receber 3 milhões de visitantes”, disse. “Temos um grande fluxo de turistas árabes”, acrescentou.

Faz parte da estratégia de promoção do turismo a realização de grandes eventos esportivos internacionais, como o Grande Prêmio de Fórmula 1 em Baku, a capital, a 4ª edição dos Jogos da Solidariedade Islâmica, realizada em maio deste ano, e a 1ª edição dos Jogos Europeus, que ocorreu em 2015. “Queremos que os brasileiros visitem o Azerbaijão também. É possível conseguir o visto online em apenas alguns dias”, declarou Polukhov.

A embaixada do Azerbaijão em Brasília foi inaugurada em 2011 e Polukhov é o segundo embaixador a ocupar o posto. Ele chegou ao Brasil em fevereiro deste ano.

O Azerbaijão é uma ex-república soviética, hoje uma república presidencialista independente. A população é de 9,6 milhões de pessoas e o produto interno bruto (PIB) a preços correntes chegou a US$ 37,5 bilhões em 2016, segundo informações do Banco Mundial. O PIB per capta está em US$ 3.889, também de acordo com o Bird. O Fundo Monetário Internacional (FMI) prevê um recuo de 1% na economia do país este ano, mas um crescimento de 2% no próximo.

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form