logo_anba_pt logo_camera_pt
21/10/2017 - 07:00hs
Compartilhe:

Miguel Arraes é homenageado pela Palestina

O presidente palestino, Mahmoud Abbas, enviou medalha e certificado em memória ao político brasileiro por sua defesa do país árabe. Homenagem foi entregue por embaixador para filha de Arraes.



São Paulo – A família de Miguel Arraes recebeu da Palestina nesta sexta-feira (20) medalha e certificado de reconhecimento ao trabalho do político brasileiro em favor da causa do país árabe. Enviada pelo presidente palestino Mahmoud Abbas, a homenagem foi entregue à filha de Arraes, Ana Arraes, pelo embaixador da Palestina no Brasil, Ibrahim Alzeben.

Isaura Daniel/ANBA

Alzeben (dir.) entregou homenagem à família

O embaixador esteve na sede do Instituto Miguel Arraes, que fica na casa onde o político morou por vários anos, no Recife, acompanhado de outros cinco embaixadores árabes e do diretor-geral da Câmara de Comércio Árabe Brasileira, Michel Alaby. O grupo integra delegação de diplomatas árabes e africanos que está em missão ao estado de Pernambuco.

Abbas concedeu a “memória comemorativa dourada” a Arraes como reconhecimento do povo palestino pelos esforços e dedicação do brasileiro na consolidação das relações entre Palestina e Brasil. O certificado é datado de janeiro de 2011 e não pode ser entregue na oportunidade, quando o presidente da Palestina esteve no Brasil.

Aos embaixadores e familiares de Arraes, Alzeben contou um pouco da história do político com a Palestina, cujas relações começaram com o contato de Arraes com Abu Jihad, líder palestino que foi um dos fundadores do partido Fatah. Miguel Arraes também tinha amizade e trocava correspondência com o líder palestino Yasser Arafat.

“A memória de Miguel Arraes está na memória coletiva do povo palestino, ele fez parte dessa grande luta. Sempre considerando palestinos com muita humanidade, ele foi um dos lutadores pela independência palestina”, disse Alzeben para a família.

Ana Arraes se disse emocionada e falou que a homenagem reforça ainda mais o compromisso que a família carrega com a história de Miguel Arraes. “Essa casa também é de vocês, fazemos parte de uma parcela do mundo que não se conforma com as grandes diferenças”, disse Ana, acompanhada do filho Antônio Campos e de outros familiares.

Isaura Daniel/ANBA

Diplomatas foram recebidos na Sala Argélia

O nome de uma das salas principais da casa onde fica o instituto é Argélia. O político ficou exilado por 14 anos no país árabe durante o período da ditadura militar no Brasil. “Se não fosse a Argélia, não teria havido saída para o meu pai”, disse Ana. O embaixador da Argélia no Brasil, Toufik Dahmani, participou do encontro.

O Instituto Miguel Arraes atua com educação política, preservação da memória e legado do político e também promove ações para inclusão social. O instituto foi criado poucos anos após a morte do político, em 2005, por sua viúva Magdalena Arraes. Considerado um símbolo da esquerda brasileira, Arraes foi prefeito do Recife, além de deputado estadual, deputado federal e governador do estado de Pernambuco. Arraes era avô de Eduardo Campos, filho de Ana, que também foi governador de Pernambuco e morreu num acidente de avião em 2014, quando concorria à eleição à Presidência da República.

Além de Alzeben, Alaby e Dahmani, também visitaram o Instituto Miguel Arraes e foram presenteados os embaixadores do Catar, Mohammed Al-Hayki, do Iraque, Arshad Omar Esmaeel, da Tunísia, Mohamed Hedi Soltani, e o embaixador da Liga dos Estados Árabes, Nacer Alem.

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form