logo_anba_pt logo_camera_pt
07/11/2017 - 07:00hs
Compartilhe:

Empresas têxteis vão ao Egito negociar matérias-primas

Três indústrias brasileiras foram convidadas pelo governo egípcio para visitar a feira Destination Africa, que ocorre neste final de semana no Cairo, e ter reuniões com fornecedores de insumos. Câmara Árabe participa.



São Paulo – Três empresas brasileiras vão participar de um projeto comprador do setor têxtil promovido pelo governo egípcio no próximo final de semana. A fabricante de tecidos Fiama, a indústria de fios e linhas Círculo e a produtora de elásticos Damenny foram convidadas pelo país árabe para conhecer e negociar matérias-primas egípcias, em uma ação com apoio no Brasil da Câmara de Comércio Árabe Brasileira e do Consulado do Egito em São Paulo.

Destination Africa/Divulgação

Feira no Cairo terá fornecedores de fios

A iniciativa acontece durante a realização da Destination Africa, feira com exibição de produtos de indústrias africanas do setor têxtil, que ocorre nos dias 11 e 12 de novembro no Nile Ritz Carlton Hotel, no Cairo, a capital egípcia. Estarão presentes na feira 100 indústrias de 15 países africanos e mais de 300 compradores internacionais especializados, segundo o site da mostra.

“O Egito convidou muitos compradores de vários países, incluindo o Brasil, pois nosso principal foco é grandes países com grandes importações de têxteis e confecções. O Brasil é um parceiro importante para o Egito e procuraremos maior participação de empresas brasileiras nas futuras edição da Destination Africa”, disse o cônsul comercial do Egito em São Paulo, Mohamed Elkhatib, em entrevista à ANBA.

O Egito é um grande produtor de algodão e conhecido mundialmente pela alta qualidade do produto e dos artigos feitos a partir dele. Para o mercado brasileiro, os egípcios exportaram neste ano até setembro 1,3 mil toneladas de algodão e seus fios, o que correspondeu a uma receita de US$ 6 milhões. Os dados são da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria de Comércio Exterior (Mdic).

Passou a vigorar no começo de setembro um acordo de livre comércio entre o Mercosul e o Egito, no qual o algodão e os produtos têxteis foram beneficiados. “Acho que há boas chances de que as importações brasileiras do Egito em algodão, tecidos, têxteis, roupas prontas e roupas de cama aumentem depois deste evento, especialmente com a entrada em vigor do acordo de livre comércio entre o Egito e o Mercosul”, disse Elkhatib.

As empresas brasileiras serão acompanhadas na viagem pela executiva de Negócios Internacionais da Câmara Árabe, Fernanda Baltazar. Os representantes das indústrias brasileiras visitarão a feira e terão ali oportunidade de conhecer os produtos de todos os expositores. Eles também participarão de rodadas de negócios com indústrias egípcias, em encontros previamente agendados, farão visitas técnicas e terão atividades culturais.

A feira Destination Africa terá entre seus expositores grandes indústrias têxteis egípcias, como a Elkotb Textiles, especializada em tricô de urdidura e fabricante de tecidos de roupas esportiva, lingerie e velcro, entre outros. Também é expositora a Spinalex, uma das principais empresas de fiação do Egito, que fabrica fios de algodão egípcio e americano para exportação.

As empresas brasileiras que vão participar da ação tiveram custos de passagem e hospedagem bancados pelo governo egípcio. A Destination Africa, além de exibição de produtos e serviços terá uma conferência de discussão do segmento no dia 12 de novembro. A executiva da Câmara Árabe vai auxiliar as empresas brasileiras nas atividades programadas para o país árabe.

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form