logo_anba_pt logo_camera_pt
09/11/2017 - 10:00hs
Compartilhe:

Câmara Árabe firma acordo com instituição do Bahrein

Entidade brasileira assinou memorando de entendimentos com Câmara de Comércio e Indústria do país do Golfo durante visita de delegação organizada pelo governo federal.



Divulgação

Delegação brasileira foi recebida pela diretoria da Câmara do Bahrein

São Paulo – A Câmara de Comércio Árabe Brasileira assinou nesta quarta-feira (08) um memorando de entendimentos com a Câmara de Comércio e Indústria do Bahrein (BCCI, na sigla em inglês), em Manama, capital da nação do Golfo. De acordo com o diretor-geral da Câmara Árabe, Michel Alaby - que firmou o documento pelo lado brasileiro -, o acordo prevê troca de informações entre as duas entidades sobre temas como comércio e empresas, incentivo à realização de missões comerciais e participações em feiras de negócios em ambos os países.

“Vamos desenvolver este intercâmbio”, afirmou Alaby. Pelo lado bareinita, o documento foi assinado pelo presidente da câmara local, Khalid Almoayed. A visita à BCCI fez parte da agenda da missão organizada pelo governo federal a países árabes do Golfo com o objetivo de atrair investimentos ao Brasil.

O secretário de Coordenação de Projetos do Programa de Parceria de Investimentos (PPI) do governo, Tarcísio Gomes de Freitas, que lidera a missão, disse à ANBA por telefone que além da assinatura do acordo, os brasileiros conversaram na BCCI com empresários locais. “São empresários com negócios no mundo inteiro que têm sinergia com nossos projetos de investimentos”, comentou.

Da esq. p/ dir., Norton Rapesta, Alaby, Almoayed e outros diretores da BCCI

Um exemplo é o do vice-presidente da BCCI, Khalid Rashid Al Zayani, que levou a delegação para conhecer sua empresa, a Al Zayani Investments, após a reunião na câmara. Faz parte do grupo a indústria de fios e cabos elétricos Midal Cables, que tem uma joint-venture com a fabricante brasileira de bobinas de madeira para cabos Madem. A parceria resultou numa fábrica de bobinas em Manama, a Madem Gulf. O empresário ainda preside o Banco Islâmico Al Baraka.

Entre os projetos apresentados pelos brasileiros estão licitações de linhas de transmissão de eletricidade e leilões de estatais de energia, além de outros empreendimentos em que o capital estrangeiro é bem-vindo.

Transferência de tecnologia

A delegação se reuniu ainda com diretores do fundo soberano do Bahrein, o Mumtalakat. Segundo Freitas, o fundo tem um portfólio de investimentos bastante diversificado e deixou as portas abertas para a realização de negócios no Brasil. No entanto, os bareinitas querem transferência de tecnologia ao país árabe.

“Eles têm capital e querem o know-how, e querem que a gente faça este ‘link’ com empresas brasileiras que têm know-how, mas não têm capital para participar dos projetos”, afirmou o secretário. Os projetos apresentados pela missão são majoritariamente de construção e operação de empreendimentos de infraestrutura, além de privatizações.

O grupo em viagem ao Golfo conta também com representantes do Ministério dos Transportes, da Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e com o diretor de Investimentos da Câmara Árabe, Daniel Hannun. Na Bahrein, a delegação foi acompanhada pelo embaixador não residente do Brasil, Norton Rapesta, que fica baseado no Kuwait. Os brasileiros ainda terão agenda no Kuwait e no Catar.

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form