logo_anba_pt logo_camera_pt
05/12/2017 - 07:00hs
Compartilhe:

Indústria médica intensifica ações no mundo árabe

Associação do setor e Apex-Brasil renovaram convênio de promoção comercial. Estão previstas participações em quatro feiras em Dubai e a realização de uma missão à região em 2018.



São Paulo - A Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares e de Laboratórios (Abimo) renovou convênio com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) nesta segunda-feira (04), em São Paulo. O projeto Brazilian Health Devices visa a exportação de produtos hospitalares, odontológicos, laboratoriais e de reabilitação para diversos países, incluindo os Emirados Árabes Unidos, a Jordânia e a Arábia Saudita.

Divulgação

Evento contou com representantes da Abimo e Apex

O evento no prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), na Avenida Paulista, contou com apresentações do presidente da Abimo, Franco Pallamolla, da gerente de exportação e marketing da Abimo, Clara Porto, do gestor de projetos setoriais da Apex, Gabriel Isaacsson, e do gerente regulatório da Abimo, Joffre Moraes.

O projeto promoverá a participação de empresas brasileiras do setor em quatro feiras anuais especializadas em Dubai: a Medlab, a Arab Health, a AEEDC e a Access Abilities Expo. Esta última é voltada para reabilitação e pela primeira vez terá participação brasileira. Além disso, o Brazilian Health Devices está planejando uma missão comercial para o emirado em abril de 2018.

A ideia é reunir empresários brasileiros com potenciais clientes de países da região. Entre eles, a Arábia Saudita é um mercado-alvo. “Vamos convidar empresas da Arábia Saudita, Jordânia e de toda a região do Golfo para participar das reuniões”, disse Clara Porto.

Porto contou que já na próxima semana serão abertas inscrições para as empresas brasileiras que quiserem participar da missão. A partir da confirmação da participação, o projeto fará o “matchmaking”, ou seja, buscará parceiros viáveis para cada empresa.

“Por exemplo, se eu não tenho empresa de implante ortopédico, não tem por que eu procurar um cliente para esse segmento; por isso é importante que as empresas se inscrevam cedo, para fazermos o ‘matchmaking’ com tempo e da melhor forma possível”, explicou Porto.

Segundo ela, as empresas estão tendo cada vez mais interesse nos países árabes. “O Oriente Médio ainda é um mercado que precisa ser desmistificado pelas empresas brasileiras”, disse. O Oriente Médio representa entre 10% e 15% do projeto, que hoje conta com 150 empresas brasileiras. É esperado um aumento dessa fatia até 2019.

“O Oriente Médio é um mercado com muito potencial consumidor e que tem muita simpatia pelo produto brasileiro, pelo jeito brasileiro de negociar”, afirmou Porto. Ela contou ainda que está previsto um grande crescimento na área de reabilitação nos países árabes nos próximos anos.

Pelos próximos dois anos, o convênio deve intensificar o trabalho de estruturação e capacitação das empresas, para apoiá-las no que diz respeito a ações regulatórias internacionais e em suas necessidades para começar a exportar. “Já vínhamos trabalhando muito a parte de promoção comercial e agora queremos aprofundar, trabalhando ações para dar mais robustez às nossas empresas no mercado internacional” disse Gabriel Isaacsson.

A parceria entre e Abimo e a Apex existe desde 2002 e o Brazilian Health Devices está na 8ª edição. O projeto tem como meta exportar US$ 128 milhões, ter 180 empresas participantes e 125 empresas exportadoras até 2019.

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form