Alberto Mussa em √°rabe

Escritor carioca, considerado uma das revela√ß√Ķes da atual safra liter√°ria brasileira, ter√° um dos seus livros, ‘O enigma de Qaf’, traduzido para o √°rabe e publicado no Egito.

Isaura Daniel
isaura.daniel@anba.com.br

S√£o Paulo ‚Äď O escritor Alberto Mussa, uma das revela√ß√Ķes contempor√Ęneas da literatura brasileira, ter√° pela primeira vez um livro traduzido para o √°rabe. O romance "O enigma de Qaf", lan√ßado no Brasil em 2004, est√° sendo traduzido no Egito e deve chegar √†s livrarias do pa√≠s ainda este ano. O livro √© ambientado na Ar√°bia Pr√©-Isl√Ęmica, na rotina dos poetas da √©poca, e conta a hist√≥ria de um deles, apaixonado por uma mulher de quem conhece s√≥ os olhos. Para conquist√°-la, o poeta precisa decifrar um enigma relacionado ao alfabeto √°rabe.

Mussa √© descendente de libaneses e um dos seus livros, "Poemas Suspensos", √© justamente a tradu√ß√£o de poemas dos dez maiores poetas da Pen√≠nsula Ar√°bica do per√≠odo pr√©-isl√Ęmico. Foi quando esteve dedicado a essa obra, ali√°s, entre 1996 e 2004, que Mussa resolveu escrever "O enigma de Qaf", que se passa no mesmo local e est√° imbu√≠do do contexto dos poemas. Al√©m da trama do romance, a obra traz a biografia ficcional de 13 poetas pr√©-isl√Ęmicos. O livro j√° recebeu v√°rios pr√™mios, entre eles da Associa√ß√£o Paulista de Cr√≠ticos de Arte 2004 e Casa de Las Americas 2005.

"O enigma de Qaf" é o livro de Mussa mais traduzido e publicado no exterior. O autor acredita que isso tenha relação com a trajetória da obra no próprio Brasil, onde fez sucesso de crítica e leitura. No Egito, a possibilidade de tradução se abriu a partir do interesse do ensaísta de literatura do país árabe, Wail Hassan. Ele trabalha nos Estados Unidos, mas leu a obra de Mussa, entrou em contato com o escritor carioca e o indicou para tradução no Centro Nacional de Tradução do Egito, de onde deve sair a publicação de "O enigma de Qaf".

Mussa √© autor tamb√©m de "Elegbara", "O movimento pendular", "O trono da rainha Jinga", "Meu destino √© ser on√ßa", "Samba de enredo: hist√≥ria e arte" e "O Senhor do lado esquerdo". Ele j√° teve obras publicadas na Argentina, Cuba, Portugal, It√°lia, Fran√ßa, Inglaterra, Rom√™nia, Turquia e em breve uma delas deve sair na Espanha. O √ļltimo livro lan√ßado pelo autor carioca, que trabalha com a editora Record, foi "O senhor do lado esquerdo". O romance se passa no Rio de Janeiro, a partir de 1913, quando o secret√°rio da Presid√™ncia da Rep√ļblica √© assassinado em um prost√≠bulo de luxo.

O escritor acredita que "O senhor do lado esquerdo" terá uma boa demanda para tradução, já que se trata de uma história bem brasileira. "Existe no exterior uma carência de histórias ambientadas no Brasil", afirma. A próxima obra de Mussa também deve ser "bem brasileira", já que ele pretende ambientá-la nos primeiros trinta anos do Brasil, à época dos piratas, anterior às capitanias hereditárias. O objetivo é centrar o enredo no mito das amazonas, mulheres guerreiras que viviam sem maridos.

Publica√ß√Ķes relacionadas