Tunísia reduz déficit de balança comercial

Dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estat√≠sticas indicam que d√©ficit equivalente a 5,28 bilh√Ķes de d√≥lares entre janeiro e novembro representa queda em rela√ß√£o ao mesmo per√≠odo do ano passado.

Da Redação
anba@anba.com.br

S√£o Paulo ‚Äď A balan√ßa comercial da Tun√≠sia registrou d√©ficit do equivalente, em dinares tunisianos, a US$ 5,28 bilh√Ķes entre janeiro e novembro deste ano, uma queda em rela√ß√£o aos US$ 6,96 bilh√Ķes de d√©ficit registrados no mesmo per√≠odo do ano passado. De acordo com as informa√ß√Ķes sobre com√©rcio exterior divulgadas pelo Instituto Nacional de Estat√≠sticas (INS) no domingo (10) e publicadas pela ag√™ncia de not√≠cias TAP, mesmo com o saldo negativo, a Tun√≠sia exportou mais e importou menos do que em 2022 no mesmo per√≠odo do ano passado (na imagem acima, navio atracado no Porto de Sfax, na Tun√≠sia).

Segundo as informa√ß√Ķes do Instituto, o d√©ficit da balan√ßa comercial se deve, sobretudo, ao d√©ficit registrado nas transa√ß√Ķes com a China, Arg√©lia, Turquia, Brasil e Egito. Por outro lado, o pa√≠s do Norte da √Āfrica obteve super√°vit nas transa√ß√Ķes comerciais com Fran√ßa, Alemanha, It√°lia e L√≠bia.

Mesmo com esse resultado, a Tun√≠sia registrou neste ano at√© novembro expans√£o nas suas exporta√ß√Ķes e queda nas importa√ß√Ķes, sempre de acordo com as informa√ß√Ķes do INS reproduzidas pela TAP. As exporta√ß√Ķes somaram o equivalente a US$ 17,92 bilh√Ķes, com expans√£o de 7,6% sobre o per√≠odo entre janeiro e novembro de 2022. Naquela ocasi√£o, as exporta√ß√Ķes haviam crescido 24% sobre o mesmo per√≠odo de 2021.

As importa√ß√Ķes, por sua vez, ca√≠ram 3,7%, e somaram US$ 23,23 bilh√Ķes. No mesmo per√≠odo de 2022, as compras internacionais da Tun√≠sia haviam crescido 33% em compara√ß√£o com o mesmo per√≠odo de 2021.

Os setores que registraram os maiores crescimentos nas exporta√ß√Ķes foram os de alimentos e bebidas, t√™xteis, vestu√°rio e m√°quinas e equipamentos el√©tricos. As principais quedas nas importa√ß√Ķes foram registradas em energia, mat√©rias-primas e produtos semiacabados.

©ANTOINE BOUREAUHans LucasHans Lucas via AFP

Publica√ß√Ķes relacionadas