Brasil exportou 1,2 mil toneladas em genética avícola

Volume foi embarcado em janeiro. Houve queda nas vendas em função da demanda do mercado interno, segundo a ABPA.

Da Redação
anba@anba.com.br

São Paulo – O Brasil exportou 1,19 mil toneladas em ovos férteis e material genético avícola em janeiro, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (20) pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). Houve queda de 37% nos embarques sobre janeiro de 2018.

O recuo na exportação está relacionado ao aumento da demanda interna por genética avícola voltada para a produção de carne. “Com o incremento das exportações brasileiras de carne de frango, o Brasil vem priorizando o alojamento de aves de corte. Este efeito já era esperado para atender as demandas dos mercados interno e externo por proteína animal”, disse o diretor-executivo da ABPA, Ricardo Santin, em material divulgado.

O Brasil exportou 1,12 mil toneladas em ovos férteis em janeiro, com queda de 38% sobre igual mês de 2018. Em receita foram US$ 4,8 milhões, com recuo de 40%. As exportações de material genético somaram 73 toneladas no mês passado, com queda de 16%. A receita ficou em US$ 4,3 milhões e diminuiu em 34%.

Yu Xing/AFP

Publicações relacionadas