Brasil foi terceiro maior fornecedor do Bahrein em abril

Segundo dados divulgados pela Autoridade de Informação e Governo Eletrônico (iGA) do Bahrein, país fez compras de produtos brasileiros no valor de US$ 73,7 milhões.

Da Redação
anba@anba.com.br

São Paulo – O Bahrein diminuiu as importações em abril, mas o Brasil foi o terceiro maior fornecedor internacional do país, segundo dados divulgados pela Autoridade de Informação e Governo Eletrônico (iGA) do Bahrein nesta terça-feira (02).

O país árabe do Golfo fez importações no valor de 362 milhões de dinares, o equivalente a US$ 953,5 milhões pela conversão atual, o que significou um recuo de 19% sobre abril do ano passado. Segundo o relatório da iGA, os dez primeiros países fornecedores representam 68% do valor total que o Bahrein comprou no exterior no mês passado.

O Brasil foi um dos três principais países que venderam para o Bahrein em abril. A China foi a primeira, com 61 milhões de dinares (US$ 160 milhões), a Arábia Saudita foi a segunda, com 30 milhões de dinares (US$ 79 milhões) e o Brasil o terceiro, com 28 milhões de dinares, equivalentes a US$ 73,7 milhões, segundo dados da iGA.

O produto que o Bahrein mais comprou no exterior foi o óxido de alumínio, com 24,4 milhões de dinares (US$ 64,2 milhões), seguido por minérios e concentrados de ferro não aglomerados, com 24 milhões de dinares (US$ 63,2 milhões) e depois por carros com tração nas quatro rodas, no valor de 16 milhões de dinares (US$ 42 milhões).

Divulgação

Publicações relacionadas