Brasileiros conhecem fazenda do deserto

Delegação liderada pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina, visitou propriedade com plantação de frutas e legumes em Abu Dhabi, onde o clima é desértico.

Isaura Daniel
isaura.daniel@anba.com.br

Abu Dhabi – Integrantes da missão brasileira do setor agropecuário que se encontra nos Emirados Árabes Unidos conheceram neste sábado (21) uma fazenda que produz tomates, mangas, bananas, limões, batatas, milho, berinjela e uma série de outros produtos agrícolas e pecuários nas terras desérticas de Abu Dhabi.

A delegação, liderada pela ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil, Tereza Cristina, foi recebida por executivos da empresa Elite Agro, entre eles o CEO Abdulmonem Al Marzooqi e o CEO da Divisão de Alimentos e Agricultura, Ian Summerfield. A visita foi à fazenda Al Adla, que é parte do grupo.

Berinjelas são cultivadas em estufas

Além de produzir nos Emirados, a empresa tem operações em outras partes do mundo, como Sérvia, Marrocos, Etiópia e Mauritânia, e Tereza Cristina os convidou a investir no Brasil. Os brasileiros ficaram impressionados com a plantação no deserto. Na fazenda Al Adla, as técnicas para fazer os alimentos crescerem em temperatura alta e condições ruins de solo são várias, desde o uso do gotejamento, irrigação por pivôs centrais e estufa climatizada.

A superintendente de Relações Internacionais da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Lígia Dutra, que integra a delegação, afirma que as tecnologias vistas são também utilizadas no Brasil. “A gente usa muita estufa para produção de legumes e verduras no Brasil, a irrigação ainda tem muito espaço para aumentar, mas a gente tem tecnologia de irrigação. No Brasil essa tecnologia é utilizada em grande parte. A maior novidade aqui é esse solo, que é pura areia, eles têm que fazer toda a correção, adicionar nutrientes”, diz Lígia.

O presidente da Câmara de Comércio Árabe Brasileira, Rubens Hannun, que também integra o grupo, disse que a fazenda é uma lição de que mesmo sem as condições naturais necessárias, é possível fazer acontecer, tendo e buscando os instrumentos necessários. “Eles trazem a água, tratam a água, fazem o clima ficar propício”, diz Hannun. A água usada na irrigação é principalmente a do mar, que passa por dessalinização.

Divulgação
Divulgação

Publicações relacionadas