Embaixadora do Brasil no Sudão quer explorar oportunidades

Patrícia Maria Oliveira Lima vai assumir em breve a representação diplomática brasileira em Cartum. Ela visitou a Câmara Árabe.

Alexandre Rocha
alexandre.rocha@anba.com.br

São Paulo – O Brasil terá uma nova embaixadora em Cartum, no Sudão. Patrícia Maria Oliveira Lima do Nascimento Pedro pretende desembarcar na capital sudanesa (foto acima) entre o final de dezembro e o início de janeiro, e está realizando reuniões preparatórias antes de assumir o cargo. Nesta sexta-feira (23), ela esteve na Câmara de Comércio Árabe Brasileira, em São Paulo.

“As perspectivas são muito positivas”, disse à diplomata à ANBA. Ela tem bastante familiaridade com o Sudão, por serviu durante dois anos como ministra conselheira na embaixada brasileira em Cartum, e é mulher de Antônio Carlos do Nascimento Pedro, ex-embaixador do Brasil no país africano, hoje aposentado. “Não me é estranho, eu gosto muito do país, é como voltar para casa”, afirmou.

Diplomata já serviu durante dois anos na embaixada em Cartum

Patrícia destacou que Brasil e Sudão têm boas opções de complementariedades que podem render negócios e iniciativas de cooperação. “Existem nichos de oportunidades comerciais que valem à pena ser explorados”, ressaltou.

Como exemplo, ela citou a indústria farmacêutica, na qual o Brasil tem experiência e o Sudão tem demanda. “Eles tinham uma indústria farmacêutica antiga que desapareceu num bombardeio em Cartum e nunca se recuperou. Retomar [esta indústria] pode ser uma boa parceria de cooperação”, declarou.

A área de segurança alimentar é outro destes nichos. O Brasil pode tanto ser fornecedor de produtos para alimentação humana e animal, como atuar no desenvolvimento de projetos agrícolas no país árabe, o que já ocorreu no passado. “Projetos assim podem ser não só servir para aumentar a produção local, mas também para ampliar a produtividade e introduzir novas culturas”, afirmou a embaixadora.

Ela falou também do setor de mineração, da área de serviços e de cooperação para capacitação profissional. “Podem haver parcerias interessantes na área de capacitação”, disse. A diplomata visitou recentemente o Instituto Federal de Brasília (IFB) para conversar sobre este tema. A instituição ligada ao Ministério da Educação oferece cursos técnicos gratuitos.

Para explorar o potencial de negócios, Patrícia pretende realizar missões comerciais e rodadas de negócios entre empresários brasileiros e sudaneses, com o apoio de entidades como a Câmara Árabe e a Câmara de Comércio Afro-Brasileira (Afrochamber). Ela quer ainda aumentar o conhecimento sobre o Sudão no Brasil.

Esta será a primeira missão de Patrícia como titular de uma embaixada, mas ela já serviu nas representações diplomáticas do Brasil no Kuwait, Nicarágua, El Salvador, Chile e Peru, além do próprio Sudão.

Aytug Can Sencar/Anadolu Agency/AFP
Alexandre Rocha/ANBA

Publicações relacionadas