Ministra da Agricultura defende negócios com mundo árabe

Tereza Cristina afirmou que o Brasil é amigo das nações da região e que vai se esforçar para manter e ampliar as relações.

Da Redação
anba@anba.com.br

São Paulo – A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, fez nesta terça-feira (02) uma defesa enfática das relações do Brasil com os países árabes e muçulmanos, após o presidente Jair Bolsonaro ter anunciado a abertura de um escritório comercial em Jerusalém para promover negócios com Israel.

De acordo com nota do ministério, Cristina afirmou que o Brasil é amigo de todas as nações árabes e muçulmanas, que vai continuar a se esforçar para manter as boas relações e para ampliar a cooperação comercial. Ela acrescentou que terá uma reunião com embaixadores destes países na próxima semana.

“Vamos continuar perseguindo esse bom entendimento, esse bom relacionamento com os árabes, com os muçulmanos, com quem gostamos muito de ter relações comerciais”, declarou a ministra, segundo a nota.

Cristina admitiu, porém, que há um descontentamento dos países árabes em relação ao escritório em Jerusalém. A soberania sobre a cidade é disputada entre Israel e Palestina, que é um país árabe, e a decisão de Bolsonaro contraria a posição tradicional do Brasil na questão.

“A gente tem de estar preparado para tudo. Acho que o escritório de negócios é um meio-termo, não é a embaixada lá. A gente sabe do ânimo que existe na região, mas o Brasil é um país amigo de todos os países, e na área comercial temos um peso muito grande no mundo árabe, no mundo islâmico. Temos de continuar conversando”, destacou a ministra, de acordo com o comunicado.

Cristina concluiu: “No que depender de mim como ministra e do setor produtivo, que apoia o relacionamento, vamos continuar fazendo com que cresça essa cooperação comercial entre os países do mundo árabe e o Brasil e fique cada vez mais robusta”.

Mateus Bonomi/AGIF/AFP

Publicações relacionadas