Museu lança e-book para quem busca registros de imigrantes

Material online e gratuito do Museu da Imigração guia quem quer encontrar informações no acervo formado por publicações, entrevistas, objetos, documentos e fotografias.

Thais Sousa
tsousa@anba.com.br

São Paulo – Para auxiliar na busca de informações dos imigrantes no Brasil, o Museu da Imigração (foto acima), em São Paulo, lançou nesta quinta-feira (29) o e-book gratuito “Acervo Digital do Museu da Imigração”. O material guia o internauta nos caminhos para descobrir como explorar um acervo especializado, formado por cerca de 10 mil publicações, 550 entrevistas, 12 mil objetos, 62 metros lineares de arquivo institucional e um banco de dados online com cerca de 250 mil imagens digitalizadas.

A ideia é facilitar o acesso para que as famílias encontrem informações dos seus antepassados imigrantes mais facilmente no material digitalizado disponível no site do MI, instituição que pertencente à Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. A publicação foi desenvolvida pelo Centro de Preservação, Pesquisa e Referência (CPPR) do Museu da Imigração, aberto em abril de 2016.

Países Árabes no Acervo

Entre as nacionalidades de origem árabe que podem ter dados encontrados no acervo a Síria, Palestina e Líbano. Apenas na busca pelo termo “árabe” é possível encontrar mais de 100 arquivos que fazem referência ao idioma, entre cartas destinadas aos imigrantes e registros de jornais.

O conteúdo do Acervo Digital caminha junto com a história do edifício em que hoje funciona o Museu da Imigração do Estado de São Paulo. O local foi por mais de 90 anos a Hospedaria do Imigrante do Brás e, segundo o Museu, recebeu mais de 2,5 milhões de pessoas, entre imigrantes e migrantes nacionais. Os estrangeiros corresponderam a mais de 70 nacionalidades diferentes.

A publicação, disponível para download no site, apresenta o passo a passo para encontrar dados e explicação de cada item do registro de matrícula. Somente em 2018, os profissionais do CPPR atenderam mais de nove mil solicitações presenciais ou encaminhadas por e-mail sobre informações relacionadas ao acervo online. Entre os objetivos de quem procura o serviço estão descobrir informações genealógicas ou para processos de cidadania.

Para quem optar por atendimento presencial, realizado pelos pesquisadores, o Centro de Preservação estendeu o seu horário de funcionamento. Agora, o atendimento passa a acontecer de terça a sábado, das 10 às 16 horas. “Muitas pessoas chegam aqui em busca de documentação para cidadania, ou interessadas na construção de árvore genealógica, com poucas informações e saem com dados preciosos e uma pesquisa encaminhada”, explica o pesquisador da instituição, Henrique Trindade, em nota divulgada pelo Museu. O Centro indica que as dúvidas sobre a pesquisa no acervo digital podem ser tiradas em contato pelo e-mail pesquisa@museudaimigracao.org.br.

Serviço

Centro de Preservação, Pesquisa e Referência
Horário: de terça a sábado, das 10 às 16 horas (exceto feriados)
Entrada: Gratuita
Local: Museu da Imigração – Rua Visconde de Parnaíba, 1.316, Mooca, em São Paulo
Mais informações: www.museudaimigracao.org.br

Divulgação

Publicações relacionadas