Projeto RestART Beirut pede doações para restaurar palácio

O Palácio Sursock foi fortemente afetado pela explosão que ocorreu no Porto de Beirute no ano passado. A iniciativa pretende transformar o prédio histórico em museu e centro cultural.

Bruna Garcia Fonseca
bruna.garcia@anba.com.br

São Paulo – Um grupo de amigos de diversos países envolvido em filantropia cultural lançou recentemente o projeto RestART Beirut, uma iniciativa para angariar fundos para diversas ações culturais para preservar e restaurar o patrimônio de Beirute, no Líbano. A primeira ação do projeto é a reconstrução e restauração do Palácio Sursock e a recuperação de sua coleção de arte privada, transformando a casa em um museu aberto ao público e um centro cultural com diversas atividades. Na foto acima, a fachada do palácio após a explosão no Porto de Beirute.

O Palácio Sursock foi escolhido para o projeto por ser um dos maiores palácios históricos de Beirute e um lugar icônico, que foi muito afetado pela explosão no Porto de Beirute, em agosto do ano passado. A reportagem da ANBA entrevistou a coordenadora do projeto, a suíça Marie Eve Didier. “O palácio foi construído no século 19 e tem traços únicos da arquitetura libanesa, além de uma coleção privada de arte. Com a restauração poderemos divulgar e dividir esse conhecimento, e além de se tornar um museu, vamos ter residências artísticas com artistas locais e internacionais, eventos musicais e uma série de atividades”, disse. Já durante o processo de reconstrução, a área externa da casa, um grande jardim, deve ser aberta ao público.

(Leia mais após a galeria de fotos)

O projeto de longo prazo pretende angariar entre US$ 7 milhões e US$ 10 milhões ao longo dos próximos cinco a seis anos. São aceitas doações em dinheiro, voluntariado e parcerias acadêmicas de instituições locais e internacionais.

“Aceitamos doação de materiais de construção, de voluntários qualificados de diversas áreas, além de dinheiro. A ideia é fazermos um intercâmbio com o know how local e a expertise internacional. Queremos que esse projeto ajude Beirute e que tenha um impacto social positivo”, disse Didier.

As ações do RestART Beirut visam a preservação e restauração do patrimônio e de coleções de arte de Beirute a fim de permitir seu acesso ao público. O projeto também visa a educação, com foco na conscientização patrimonial, na transmissão de saberes, na difusão da cultura arquitetônica e artística para as gerações mais jovens; na economia local com a revitalização de uma rede de artesãos libaneses e a criação de novos empregos no setor; e na solidariedade internacional, medida pelas cooperações transnacionais que deverão ser estabelecidas entre instituições, universidades, empresas privadas e particulares.

Para conhecer mais e fazer doações, entre no site do projeto.

Bassam Lahoud
Ferrante Ferranti
Ferrante Ferranti
Bassam Lahoud
Ferrante Ferranti
Bassam Lahoud
Ferrante Ferranti
Bassam Lahoud
Ferrante Ferranti
Ferrante Ferranti
Bassam Lahoud
Ferrante Ferranti
Bassam Lahoud
Bassam Lahoud
Bassam Lahoud
Bassam Lahoud

Publicações relacionadas