Relato árabe do século 10 é traduzido para o português

Considerado um dos mais importantes documentos históricos da cultura islâmica, o livro ‘Viagem ao Volga’, de Ahmad Ibn Fadlan, foi traduzido para o português por Pedro Martins Criado e lançado pela editora Carambaia.

Bruna Garcia Fonseca
bruna.garcia@anba.com.br

São Paulo – Um dos principais documentos históricos da cultura islâmica acaba de ser traduzido do árabe para o português. O livro “Viagem ao Volga – Relato do Enviado de um Califa ao Rei dos Eslavos” narra a viagem do árabe Ahmad Ibn Fadlan no século 10, saindo de Bagdá, capital do califado da época, até Cazã, na Rússia, às margens do rio Volga. A narrativa condutora é o itinerário da viagem, de forma cronológica e geográfica pelo trajeto de mais de quatro mil quilômetros ao longo de um ano.

O relato histórico foi traduzido do árabe clássico para o português por Pedro Martins Criado e lançado pela editora Carambaia. A edição é bilíngue e baseada em livro editado em 1939, com fragmentos encontrados em 1923 por um historiador turco. Segundo Criado, que também faz a apresentação histórica do livro, o relato tem valor na literatura documental por fazer uma descrição inteiramente ocular e ser o documento mais antigo do gênero que sobreviveu. A narrativa permaneceu desconhecida por mais de mil anos. “O livro tem um tom burocrático, mas se tornou importante porque o emissário faz um relato popular, contando curiosidades exóticas sobre os locais por onde passa, além do viés diplomático ao encontrar com os povos, e acabou se tornando também um grande estudo da história da Rússia”, explicou o tradutor à ANBA nesta segunda-feira (13).

O tradutor Pedro Martins Criado

Criado contou que o rei dos eslavos, Almas Ebn Yaltwar, escreveu uma carta para o califa Almuqtadir Billah, pedindo que ele enviasse uma comitiva para instituir a fé e a lei islâmica, além de dinheiro para a construção de uma mesquista e um forte em seu território. “O rei se sentia ameaçado pelo povo vizinho, a tribo dos khazares, que já haviam sequestrado seus filhos. É como se o eslavo pedisse a bênção e a proteção do califado, para se proteger”, explicou Criado. A partir deste pedido, Fadlan viaja de Bagdá às margens do rio Volga, passando pelos povos persas, turcos, eslavos e rus (vikings), em uma viagem de um ano e mais de quatro mil quilômetros.

O relato de Fadlan termina no território dos khazares, antes do retorno à Bagdá. Porém de acordo com relatos de um geógrafo do século 13, que constam do livro, Fadlan retornou a Bagdá.

O tradutor

Pedro Martins Criado é bacharel em Letras com Habilitação em Árabe e Português, e mestrando na mesma área, ambos pela Universidade de São Paulo (USP). Sua primeira tradução do árabe para o português editada foi “O cara mais esperto do Facebook”, do sírio Abud Said, em 2016.

Apesar de não ter origem árabe, Criado falou que sempre se interessou pela cultura desse povo. “Aprecio muito história, principalmente história medieval, e a cultura islâmica teve grande produção intelectual no período; os árabes sempre tiveram esse interesse pelo conhecimento”, afirmou.

Para ele, a tradução tem papel central na difusão da cultura e história árabes. “O ocidente tem uma visão estigmatizada da cultura islâmica, por isso é importante fazer esse trabalho, que começa na tradução”, finalizou.

Serviço
Viagem ao Volga – Relato do Enviado de um Califa ao Rei dos Eslavos
Autor Ahmad Ibn Fadlan
Traduzido por Pedro Martins Criado
Editora Carambaia
ISBN 978-85-69002-40-6
144 páginas
R$ 67,90
Compra pelo site da editora

 

 

 

 

Divulgação
Divulgação

Publicações relacionadas