Tradução do Alcorão vai aproximar árabes e sul-americanos

A opinião é do professor Helmi Mohammed Ibrahim Nasr, autor da tradução do livro sagrado dos muçulmanos que será apresentada ao público hoje à noite em Brasília.

Alexandre Rocha
alexandre.rocha@anba.com.br

Alexandre Rocha, enviado especial


Brasília – A tradução do Alcorão para o português, feita pelo professor Helmi Mohammed Ibrahim Nasr, que será apresentada ao público hoje (18) à noite em Brasília, vai ajudar nos esforços de aproximação entre os países árabes e sul-americanos, já intensificados durante a cúpula dos chefes de estado das duas regiões, realizada em maio. A opinião é do próprio professor, que concedeu hoje pela manhã uma entrevista coletiva para falar de seu trabalho.


"É uma oportunidade para divulgar o terceiro livro divino entre nações que não têm muita idéia do que é o Alcorão", disse. Os dois outros livros divinos são o Velho e o Novo Testamentos. "Quem sabe, no futuro, o estudo dele será mais amplo por aqui", acrescentou, ao lado do encarregado de negócios da embaixada da Arábia Saudita, Abdullah Alowaifeer.


O professor declarou, porém, que sua tradução não tem a pretensão de converter os brasileiros para o Islã. "Não é para tornar todo mundo muçulmano, mas para que as pessoas saibam da existência de uma religião que pode ajudar em suas vidas", afirmou, acrescentando que o livro traz instruções para o indivíduo, a família e a sociedade como um todo.


O professor Nasr começou a traduzir o livro em 1984 e o trabalho durou quatro anos. Depois seguiu-se um longo período de revisões, até a edição final feita pelo Complexo Rei Fahd, na Arábia Saudita. Ela será lançada oficialmente hoje à noite em um evento promovido pela embaixada do país árabe.

Publicações relacionadas