Câmara Árabe firma acordo de cooperação técnica com a EPE

Objetivo da parceria com a Empresa de Pesquisa Energética é conectar as oportunidades no setor energético aos investidores e empresários com potencial no tema.

Thais Sousa
tsousa@anba.com.br

São Paulo – A Câmara de Comércio Árabe Brasileira assinou nesta quarta-feira (19), no Rio de Janeiro, um acordo de cooperação técnica com a Empresa de Pesquisa Energética (EPE). A EPE é uma instituição pública federal ligada ao Ministério de Minas e Energia que atua na área de estudos e pesquisas. Na ocasião, a EPE lançou, ainda, o “Boletim de Conjuntura da Indústria de Óleo e Gás – Estudo especial: Arábia Saudita”.

O acordo é fruto da aproximação das duas instituições, que têm especialidades complementares. “É uma das atribuições da EPE fazer toda parte relacionada a projeções de preço de petróleo e derivados e, por isso, na nossa equipe de abastecimento temos um grupo que acompanha a geopolítica do petróleo. E claro, o mundo árabe tem uma importância muito grande. Para nós, entender melhor o mundo árabe é de fundamental relevância”, explicou José Mauro Ferreira Coelho, diretor de Estudos do Petróleo, Gás e Biocombustíveis, em entrevista à ANBA.

Com o acordo, as duas entidades querem conectar as oportunidades no setor energético aos investidores e empresários com potencial no tema. “A EPE lida com todas as formas de energia no Brasil e conhece todo setor enérgico de forma integrada e, obviamente, todas aquelas oportunidades de investimento que temos no Brasil. É claro, o estabelecimento de parceria com câmaras de comércio, e com os árabes, é muito importante como possibilidade de apresentar essas oportunidades no setor energético brasileiro”, apontou Coelho.

Para a diretora de Marketing e Estratégia da Câmara Árabe, Janine Bezerra de Menezes (na foto acima), o acordo vem para somar as sinergias entre a Câmara Árabe e a EPE. “Eles têm esse domínio profundo sobre as oportunidades desse setor no Brasil. E irão, em virtude disso, trazer as oportunidades centrais nesse setor que é importante não só para o Brasil, mas para o mundo. E vamos construir essa agenda para proporcionar resultados efetivos com relação a isso”, declarou Menezes.

As instituições já têm programada para o mês que vem uma reunião para dar sequência a parceria. Uma das ideias é estabelecer grupos de trabalho que partilhem conhecimento sobre o mundo árabe no setor do petróleo, e sobre o Brasil em seus setores energéticos. “A partir desse acordo, como segundo passo, vamos estabelecer um plano de trabalho para 2020”, concluiu José.

Arábia Saudita

O boletim conta com seções sobre a conjuntura brasileira, a conjuntura internacional, estatísticas, além de um espaço que trata a cada edição do panorama da indústria de uma determinada região ou país. “Nesse semestre, optamos por fazer sobre a Arábia Saudita. Já tínhamos interesse de longa data de fazer sobre esse país. Tivemos dificuldade adicional, que foi selecionar o que iria para aquele panorama porque no caso da Arábia Saudita tínhamos uma riqueza muito maior para trabalhar”, pontuou o superintendente adjunto da EPE, Marcelo Cavalcanti, responsável pelo Boletim.

O foco do documento é na conjuntura do que ocorreu no último semestre de 2019. “O que eu acho que é interessante é que o conteúdo é acessível ao leitor. É para todo empresário que ainda não tem noção do impacto que o setor energético pode ter no produto dele. É um material muito rico e traz questionamentos. É feito para que não seja fechado a especialistas, mas que agregue a todos”, afirmou a gerente de Relações Institucionais da  Câmara Árabe, Fernanda Baltazar.

O boletim fica disponível para o público através do site da EPE. Para acessar, basta clicar neste link, ou entrar em contato com a equipe da empresa através do e-mail boletimpetroleo@epe.gov.br e se inscrever para receber os boletins semestrais produzidos por eles.

Divulgação

Publicações relacionadas