Kizad oferece oportunidades para empresas brasileiras

Em webinar realizado nesta terça-feira (28), a zona industrial de Abu Dhabi apresentou informações e facilitações para empresas brasileiras que querem se internacionalizar no emirado.

Bruna Garcia Fonseca
bruna.garcia@anba.com.br

São Paulo – A Zona Industrial Khalifa (Kizad), de Abu Dhabi, está oferecendo oportunidades para empresas brasileiras que querem se estabelecer no emirado árabe. Em webinar realizado nesta terça-feira (28) em parceria com a Câmara de Comércio Árabe Brasileira, que contou com público de mais de 100 pessoas, foram apresentadas informações e facilitações de negócios.

Da Kizad, falaram no evento o CEO Samir Chaturvedi, vice-presidente comercial Edwin Lammers e o diretor comercial Khalid Al Marzooqi. Também participaram o diretor geral do Escritório Internacional de Abu Dhabi (Adio), Tariq Bin Hendi, e o gerente executivo da BRF Abu Dhabi, Giovani Pelliza. Da Câmara Árabe, falaram o secretário-geral Tamer Mansour e o embaixador e vice-presidente de Relações Internacionais Osmar Chohfi.

Lammers lembrou que a visita do presidente Jair Bolsonaro no ano passado aos Emirados reafirmou a força dos laços entre os países. “Ano passado chegamos a US$ 3 bilhões em trocas comerciais entre as nações e temos muitas oportunidades, não só da zona industrial, mas também as facilidades que o governo oferece para investidores”, disse o vice-presidente comercial.

Chaturvedi lembrou que mais de 10 mil brasileiros vivem atualmente em Abu Dhabi. Ele falou sobre a situação atual da covid-19. “Nessa crise atual, nós na Kizad estamos focando em dar apoio aos negócios e aos nossos clientes, e queremos assegurar que todos os trabalhadores e a comunidade estejam seguros e que a cadeia de suprimentos esteja aberta para negócios”, disse o CEO.

Entre os atrativos do emirado, foram listados que Abu Dhabi é uma cidade segura para se viver, fácil de fazer negócios, sem impostos e com 100% de propriedade dos expatriados nas zonas francas, com uma infraestrutura de hub para a região do Oriente Médio, África e Ásia, e economia estável.

No ano passado, Marzooqi, da Kizad, esteve na sede da Câmara Árabe em São Paulo para apresentar as oportunidades de negócios aos empresários brasileiros e foi assinado um memorando de entendimento entre as partes. O encontro foi citado pelo embaixador Chohfi, que também falou do contexto das relações econômicas e comerciais entre os dois países.

“Mesmo com as condições adversas da pandemia de covid-19, até junho de 2020 as exportações brasileiras para os Emirados alcançaram quase US$ 900 milhões. Esse comércio bastante importante se beneficia muito de um quadro de relações políticas e institucionais muito favorável, como foi demonstrado pela visita que o presidente Jair Bolsonaro fez aos Emirados Árabes Unidos no final de outubro de 2019”, disse. Ele lembrou que na ocasião foram assinados oito acordos de cooperação internacional entre os países em diversos setores, como agricultura, transporte, infraestrutura e turismo.

Marzooqi falou sobre os setores-chave para a zona industrial, mas lembrou que todos os segmentos são bem-vindos. Os principais setores que a Kizad já acomoda são polímeros, metais, alimentos, automóveis, logística, petróleo e gás, energia e farmacêuticos.

O principal produto brasileiro já presente na Kizad é o alimento, mais especificamente, produtos processados do frango. A BRF tem fábrica no local desde 2014. Segundo Pelliza, a companhia se estabeleceu em Abu Dhabi em apenas 14 meses. Ela recebe o frango congelado do Brasil pelo porto de Abu Dhabi e o processa, tendo uma gama de produtos com valor agregado, como nuggets, hambúrgueres e salsichas, que são vendidos nos Emirados e também exportados para a região, para países como Arábia Saudita, Omã, Kuwait e Paquistão, entre outros.

Tamer Mansour falou sobre os serviços da Câmara Árabe e como a entidade está trabalhando no cenário atual, com novos modelos de trabalho e novas oportunidades. “Já fizemos 15 webinars e participamos de 20 eventos virtuais como convidados, também estamos produzindo um boletim diário com atualizações sobre a covid-19 no Brasil e nos países árabes. O lado bom desse momento é que conseguimos encontrar uma maneira de nos aproximar virtualmente”, disse.

Hendi apresentou as iniciativas que o governo de Abu Dhabi tomou diante da pandemia. Em março deste ano, o governo de Abu Dhabi foi rápido ao responder aos desafios econômicos causados pela pandemia mundial. Foram anunciados pacotes de estímulo econômico, com 16 iniciativas para apoiar negócios e indivíduos em Abu Dhabi, para garantir o crescimento contínuo da economia local, e 17 iniciativas financeiras desenvolvidas para reduzir custos financeiros e melhorar o acesso a financiamentos para pessoas físicas e pequenas e médias empresas.

Em março, a Kizad anunciou que implementou a redução de 25% na tarifa para arrendamentos de terrenos para novos contratos.

Divulgação

Publicações relacionadas