Baianos vão à final do prêmio F1 nas Escolas em Abu Dhabi

A equipe da Escola Sesi Reitor Miguel Calmon, de Salvador, venceu a disputa nacional do campeonato de robótica promovido pela principal categoria do automobilismo.

Thais Sousa
tsousa@anba.com.br

São Paulo – Alunos de escola da Bahia vão representar o Brasil na etapa internacional do Fórmula 1 nas Escolas, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. A equipe da Escola Sesi Reitor Miguel Calmon, de Salvador, venceu a fase nacional do campeonato de robótica realizada de 15 a 17 de março, no Rio de Janeiro, durante o Festival de Ciência e Tecnologia Sesi.

O F1 nas Escolas ocorre entre estudantes do Ensino Fundamental e Médio, de 12 a 19 anos. A iniciativa é realizada em 42 países. Entre os objetivos da disputa estão fazer com que as equipes de estudantes gerenciem o projeto e construção de um modelo em miniatura de carro de Fórmula 1, desenvolvam um plano de negócios, marketing e ações em mídias sociais, busquem parceria ou patrocínio com o setor privado, além de criar uma ação social.

Cada equipe conta com um técnico. O time baiano batizado de SevenSpeed (foto acima), formado por seis alunos, tem como técnico o professor de Robótica da escola, Robson Nunes. “A robótica faz parte do currículo dos alunos do ensino Fundamental e Médio. Esta equipe tem cinco alunos do 3º ano e um do 2º, e já vem trabalhando junto nos torneios há algum tempo. O trabalho do Sesi é muito importante para eles. A escola está inserida em uma comunidade da periferia de Salvador. São jovens que só têm acesso a tecnologia aqui na escola. Dos seis, só um tem computador em casa”, explicou Nunes em entrevista à ANBA.

Os alunos estudaram por três meses, incluindo o período de férias, para chegar ao protótipo que venceu o campeonato nacional.

A escola da equipe campeã está inserida em uma comunidade da periferia de Salvador

Os alunos estudaram por três meses, incluindo o período de férias, para chegar ao protótipo que venceu o campeonato nacional. “Essa competição foi diferente, pois a metodologia desafiava os alunos a criar uma empresa e serem empreendedores. Dá uma autonomia maior, aprendizado maior. O que eles ganham é muito mais importante do que o prêmio”, afirmou o professor que teve que escolher seis alunos para formar a equipe, entre mais de 1800 alunos que frequentam a unidade do Sesi.

Já a liderança do SevenSpeed ficou com a aluna Beatriz Mota, que cuidou da gestão financeira, entre outras atividades da equipe. Além de Mota, os alunos que desenvolveram o projeto foram João Victor Dias, designer de Engenharia, Beatriz Valongo, diretora de Finanças, Geovane Santos, captador de recursos, Franciele Moraes, Marketing e diretora de RP, e Icaro Canela Teixeira de Almeida, engenheiro de manufatura.

As horas de estudo mudaram a rotina dos estudantes. “A experiência foi incrível. Neste torneio aprendi a ser líder de fato, por mais que já tivesse esse traço de liderança um pouco aflorado em mim, conseguir aprimorá-lo, foi muito satisfatório. Além disso, ser mulher e estar num posto de liderança é muito significativo pra mim. Pensar que estou fazendo a diferença e quebrando um estereótipo é sensacional”, declarou Mota.

O professor conta que sua principal função foi a de orientar. “É muito gratificante. Isso é inédito para a Bahia. Em um torneio que envolve tecnologia sermos os primeiros é a certeza que os recursos estão chegando onde têm que chegar”, declarou Nunes. A etapa mundial do Fórmula 1 nas Escolas será realizada em paralelo ao Grande prêmio de Abu Dhabi, que ocorre de 28 de novembro a 1º de dezembro, na capital dos Emirados. As equipes de estudantes vão poder conhecer as equipes de Fórmula 1.

Agora, entre expectativas para conhecer um novo país e cultura diferentes, os brasileiros trabalham para aprimorar seu projeto. “O desafio é manter essa empresa funcionando até o torneio, e queremos sair de lá com a vitória!”, disse o professor. A equipe procura parceiros ou patrocinadores para viabilizar o projeto que vão apresentar nos Emirados. Para os interessados em patrocinar a SevenSpeed, basta entrar em contato com o professor e técnico pelo e-mail robson.n@siebe.org.br.

Divulgação
Divulgação

Publicações relacionadas