Brasil vive Dia da Comunidade Árabe

Câmara Árabe lembrou a data nacional dos árabes, que é 25 de março, de forma online neste ano. Em campanha nas redes sociais, o presidente da entidade lembrou que médicos de origem árabe atuam, com seus colegas, no enfrentamento do coronavírus, e que o Brasil vem trabalhando para manter abastecimento de alimentos aos países árabes.

Da Redação
anba@anba.com.br

São Paulo – O Brasil vive o Dia da Comunidade Árabe nesta quarta-feira, 25 de março, e a Câmara de Comércio Árabe Brasileira lembra a data de forma digital, por meio de uma campanha nas redes sociais, que começou no último domingo (22) e segue até o dia 29 de março. Na abertura da campanha, o presidente da Câmara Árabe, Rubens Hannun, lembrou de como a integração entre o Brasil e os países árabes se faz presente também neste momento difícil que o mundo atravessa.

Em vídeo, Hannun afirmou que os árabes, que se estabeleceram inicialmente no Brasil por meio do comércio, foram para várias outras áreas, como arte, cultura, engenharia e medicina, esse último um setor de extrema importância para o enfrentamento da pandemia do coronavírus. “Profissionais também de origem árabe estão trabalhando com maior afinco para a contenção dessa pandemia que está afetando nosso País”, afirmou ele, lembrando que pelo mesmo processo passam os países árabes e o mundo.

Segundo Hannun, a Câmara Árabe atua para que o fluxo de envio de alimentos do Brasil ao mercado árabe não pare neste momento. “Para que o Brasil possa continuar produzindo e, produzindo [inclusive] alimentos para os árabes que estão necessitando”, afirmou ele no vídeo. O abastecimento mundial de alimentos, principalmente de países não produtores, é uma das preocupações geradas com a crise.

A campanha online também conta que o Dia da Comunidade Árabe passou a integrar o calendário nacional em 2008 e que a data escolhida é uma referência ao nome da rua 25 de Março, na capital paulista, onde os árabes estabeleceram suas lojas assim que chegaram no Brasil, no final do século 19. A Câmara Árabe lembra que uma das muitas heranças da imigração é a culinária, com a incorporação pelos brasileiros das receitas e os pratos desenvolvidos na região.

A campanha digital do Dia da Comunidade Árabe foi criada em função da impossibilidade de realizar a exposição inicialmente prevista, Al Aiyadi, com arte popular e artesanato árabe. A mostra será aberta assim que for possível e trará peças recebidas como presentes pela Câmara Árabe ao longo da sua trajetória. A exposição será permanente na sede da entidade. A diretora cultural da Câmara Árabe, Silvia Antibas, conta um pouco sobre a exposição na campanha online.

O Museu da Imigração, de São Paulo, também lembrou a data nacional dos árabes nas suas redes sociais nesta quarta-feira. Segundo informado pelo museu, o primeiro registro oficial da presença de árabes no Brasil é do ano de 1874, quando os irmãos palestinos da família Zacarias chegaram no porto do Rio de Janeiro. No fim do século 19 também vieram os sírios e libaneses, e em meados do século 20 começaram a chegar imigrantes do Egito, Iraque, Tunísia e Marrocos.

Na foto, família libanesa em imagem do Museu da Imigração.

Publicações relacionadas