Casa do Saber oferece curso sobre as origens do islamismo

Curso ‘As Origens do Mundo Islâmico’ será ministrado por Plínio Gomes em quatro encontros, com início em 19 de fevereiro. As inscrições estão abertas para as aulas presenciais e on-line.

Bruna Garcia Fonseca
bruna.garcia@anba.com.br

São Paulo – A Casa do Saber, centro de debates e disseminação de conhecimento em São Paulo, oferece o curso ‘As Origens do Mundo Islâmico’ com o professor Plinio Gomes, em quatro encontros. As inscrições estão abertas e as aulas têm início em 19 de fevereiro, às 20 horas, de forma presencial, na sede da instituição, na rua Dr. Mario Ferraz, 414. Também há a opção de assistir às aulas on-line, de qualquer parte do Brasil.

O curso aborda a história do mundo árabe e do Islã a partir de cinco cidades fundamentais no desenvolvimento dessas civilizações, começando por Petra (atual Jordânia), e passando por Meca (Arábia Saudita), Damasco (Síria), Jerusalém (Palestina), fechando com Bagdá (Iraque). Na foto acima, a cidade de Petra.

Segundo o professor Plinio Gomes, apesar de o calendário islâmico datar 1440 anos, o ponto de partida da religião veio bem antes desse período. “A ideia é mostrar que o islamismo não caiu do céu, foi sendo criado ao longo de séculos com raízes semíticas, helenísticas e persas”, informou.

Gomes disse que é muito comum que a religião muçulmana e o povo árabe se confundam, porque a primeira publicação no idioma árabe escrito foi o Alcorão. “O Islã define o povo árabe de forma fundamental, apesar de nem todo árabe ser muçulmano, porque consolida o idioma árabe”, afirmou.

Maomé, envolto por uma aura de fogo, contempla a Ka’ba. Iluminura para Siyer-i Nebi (‘A vida dos profetas’), manuscrito otomano de 1595.

No curso, ele pretende contar a história da origem do islamismo e da cultura árabe, que caminham juntas, a começar pelo reino dos Nabateus, que viviam em Petra entre o século 1 a.C e o século 1 d.C. “Essa cidade é muito importante. Era o ponto de passagem das rotas comerciais para o Império Romano de incenso, mirra e betume, entre o Mediterrâneo e a Mesopotâmia, e o povo nabateu tinha origem semítica e falava em um dialeto aramaico meridional, uma língua muito próxima do árabe”, contou o professor.

O incenso, segundo Gomes, era muito usado por razões religiosas nos templos pagãos; a mirra era um aroma medicinal amplamente utilizado na época, principalmente em formato de bálsamo para tratar feridas, e o betume era a base de cosméticos e cremes de beleza, oriundo do Mar Morto.

“O Islã tem origem no judaísmo e no cristianismo, tem uma conexão muito forte com essas religiões, cita personagens bíblicos como Maria, Abraão e o Rei Salomão e não explica quem eles são como na Bíblia, porque a informação já é de domínio público”, afirmou Gomes.

De acordo com o professor, a fonte semítica do islamismo é ligada ao contexto religioso; a helenística, com origem grega traz o conhecimento científico e filosófico; e a fonte do mundo persa traz o componente cultural e técnicas e estruturas políticas para a organização do estado religioso. “O Islã é um mix dessas culturas, por isso consegue se expandir com tanta facilidade”, reforçou.

O curso segue por Meca, na Arábia Saudita, contando a história de Maomé e do papel da cidade dentro das redes de caravanas. “O islamismo como religião se consolida em Meca e começa a se expandir em direção ao Norte, para Damasco e Jerusalém”, disse Gomes.

O professor contou que Bagdá, a última cidade abordada no curso, foi fundada no século VIII (ano 762 d.C.), “projetada, como Brasília, em um local não habitado, como uma capital do islamismo na Mesopotâmia, entre o Oriente Médio e a Pérsia, por uma questão geopolítica, estratégica”.

Neste momento da história, segundo Gomes, o Islã já é um império, e a criação da cidade de Bagdá denota um momento em que a política é muito mais importante que a religião. “Vamos falar inclusive do livro ‘As Mil e Uma Noites’, que tem diversas histórias que se passam em Bagdá neste período”, acrescentou.

O curso é voltado para quem tem interesse em história, geografia, religião, literatura, arquitetura e história da arte. As aulas vão trazer, ainda, conteúdos como a origem dos monumentos arquitetônicos de Petra e da Ka’ba, um cubo negro que fica em Meca e é o centro da peregrinação dos muçulmanos. “A Ka’ba servia como um depósito de ídolos das diferentes tribos que por lá passavam, antes da criação do islamismo, e acabou se tornando um símbolo da unidade do Islã”, concluiu Gomes.

Plinio Gomes é bacharel e mestre em História pela Universidade de São Paulo. O valor do curso presencial é de 4x de R$185,00, e o on-line, 4x de R$195,00. As inscrições podem ser feitas pelo site da Casa do Saber.

Serviço

As Origens do Mundo Islâmico
Professor Plinio Gomes
A partir de 19 de fevereiro
4 encontros
das 20h às 22h
Casa do Saber
Rua Dr. Mario Ferraz, 414, São Paulo
Inscrições abertas
Presencial
On-line

Divulgação
Divulgação

Publicações relacionadas