Comércio dos países do G20 tem desempenho fraco, diz OCDE

Exportações de membros do bloco aumentaram apenas 0,4% no primeiro trimestre, e as importações caíram 1,2%. Organização aponta impacto negativo da guerra comercial entre EUA e China.

Da Redação
anba@anba.com.br

São Paulo – A Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) informou nesta terça-feira (28) que o comércio internacional de bens dos países do G20 teve desempenho fraco no primeiro trimestre. De acordo com relatório da instituição sediada em Paris, as exportações destes países aumentaram apenas 0,4% em relação ao último trimestre do ano passado, ao passo que as importações recuaram 1,2% na mesma comparação.

A entidade aponta impacto negativo da elevação de tarifas no comércio entre os Estados Unidos e a China, a chamada guerra comercial. Segundo o levantamento, as exportações do bloco caíram 0,8% nos três primeiros meses de 2019 sobre o terceiro trimestre de 2018 – quando a primeira leva das taxas foi implementada – e as importações diminuíram 2,7%.

Os números foram divulgados um mês antes da cúpula do G20, que vai ocorrer nos dias 28 e 29 de junho, em Osaka, no Japão. O bloco é formado pelas 19 maiores economias do mundo, mais a União Europeia.

Segundo a OCDE, as importações dos Estados Unidos recuaram 1,9% no primeiro trimestre de 2019, sendo que as importações norte-americanas de produtos da China caíram 12%, a maior queda já registrada.

A disputa comercial entre os EUA e a China está afetando o comércio de outros países Asiáticos. No primeiro trimestre, diminuíram significativamente as exportações e importações da Indonésia, Japão e Coreia do Sul.

De acordo com a organização, só o Reino Unido registrou forte alta em suas operações de comércio exterior entre os membros do G20. Houve um aumento de 6,2% nas exportações e de 5% nas importações no primeiro trimestre. O crescimento é creditado a um movimento de formação de estoques e a um aumento das atividades comerciais frente às incertezas do Brexit, como é chamada a saída do país da União Europeia, aprovada em plebiscito, mas ainda não implementada.

A OCDE apontou também crescimento moderado das exportações da Austrália, México e da UE como um todo, e aumento significativo das importações na Turquia e na Rússia.

No caso do Brasil, a organização aponta recuo de 6,4% tanto nas exportações como nas importações. A OCDE não divulgou dados da Arábia Saudita, único país árabe que integra o G20.

Gioia Forster/DPA/AFP

Publicações relacionadas