Covid-19 impacta compras de final de ano nos Emirados

Hábitos de consumo adotados na pandemia seguem ativos e deverão nortear as aquisições de final de ano no país árabe. Eletrodomésticos para casa e equipamentos de ginástica estarão entre os bens visados.

Da Redação
anba@anba.com.br

São Paulo – O ano de 2020 trouxe muito mais mudanças para o varejo nos Emirados Árabes Unidos do que os últimos dez anos juntos. Em uma reportagem sobre o assunto, o site local Gulf News mostra o que mudou nos hábitos de consumo no país neste ano de pandemia e como serão as compras de final de ano no período.

Uma pesquisa sobre planos do consumidor para o final do ano aponta que eles não vão buscar o último smartphone ou acessório da moda. Os consumidores estão mais propensos a gastar com eletrodomésticos e equipamentos de ginástica. Itens para trabalhar em casa como microcomputadores e acessórios de telefone devem estar na lista.

O levantamento mostra que os consumidores continuarão os hábitos de compra do período de quarentena. As mudanças no estilo de vida e na rotina de trabalho trazidas pela covid-19 não irão embora tão cedo.

Outra tendência é a continuidade das compras online, até mesmo nos supermercados. As vendas de alimentos por canais virtuais devem encerrar 2020 em US$ 1,2 bilhão, 5% do mercado da área dos Emirados. Até março a participação era de 1%. O setor continuará crescendo, com mais lojas aderindo ao e-commerce.

Outra forma de compras que se estabeleceu e segue ativo é a encomenda via internet com o deslocamento do consumidor apenas para retirar o pedido na loja ou supermercado. Com isso, os varejistas dos Emirados passaram a precisar atender os clientes em multicanais, ou seja, de várias formas, de acordo com a preferência de cada um.

A reportagem cita como estratégias adotadas no setor de moda para impulsionar as vendas de final de ano a oferta aos clientes de um segundo produto gratuito ao adquirir um primeiro item. Outra aposta das lojas de roupas físicas é exposição online das peças por meio de aplicativos.

A consultoria Nielsen afirma que a preocupação com o emprego e a incerteza turvam as perspectivas do setor varejista nos Emirados e terá influência nas compras de final de ano. As aquisições devem ser presentes menores. Por outro lado, o consumidor estará mais disposto a gastar com ele mesmo.

Karim Sahib/AFP

Publicações relacionadas