Déficit primário do Governo Central somou R$ 95 bilhões

As entradas financeiras do pré-sal e a não utilização de alguns recursos fizeram a conta do Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central juntos ter saldo negativo menor do que em 2018.

Agência Brasil
pauta@ebc.com.br

Brasília – As receitas extras do pré-sal e o acúmulo de recursos que não conseguiram ser gastos fizeram o Governo Central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) cumprir a meta de déficit primário, com folga, em 2019. Segundo números divulgados nesta quarta-feira (29) pelo Tesouro Nacional, o resultado ficou negativo em R$ 95,1 bilhões no ano passado, contra déficit de R$ 120,3 bilhões registrado em 2018.

O déficit primário representa o resultado negativo nas contas do governo desconsiderando o pagamento dos juros da dívida pública. Esse foi o sexto ano seguido de resultado negativo nas contas públicas. Mesmo assim, o resultado de 2019 foi o melhor desde 2014, quanto o déficit tinha chegado a R$ 23,482 bilhões.

Apesar da queda no déficit, o resultado veio pior que o esperado pelas instituições financeiras. Segundo o Prisma Fiscal, pesquisa do Ministério da Economia divulgada todos os meses, as instituições financeiras esperavam déficit de R$ 86,533 bilhões para o Governo Central no ano passado.

 

Divulgação

Publicações relacionadas