Marcas egípcias de alimentos querem abrir mercado do Brasil

A Almounajed, de salgadinhos, e a Inagrotiba, de temperos e ervas, estão pela primeira vez no País para participar da feira Food Ingredients South America, e pretendem começar a exportar para cá.

Bruna Garcia Fonseca
bruna.garcia@anba.com.br

São Paulo – Duas empresas de alimentos do Egito estão no Brasil pela primeira vez para participar da feira Food Ingredients South America, em São Paulo. A Almounajed Food Industries, empresa que produz salgadinhos crus (antes de fritar) à base de milho, trigo e batata, e exporta para cerca de 60 países, e a Inagrotiba, companhia de ervas e temperos que exporta principalmente para a Europa.

A Herbs Egypt, outra empresa egípcia de ervas, também conta com estande na feira. Ela exporta para o Brasil há 20 anos. A mostra começou terça-feira (21) e vai até esta quinta (23).

A empresa de salgadinhos crus Almounajed está na exposição para expandir seus negócios para toda a América Latina. Esta é a primeira vez que representantes da marca vêm ao Brasil, e a gerente de relações públicas da companhia, Fatina Almounajed (foto acima), informou à ANBA que está buscando compradores tanto de grandes indústrias de salgadinhos, para fritar, temperar e embalar com sua marca, quanto de supermercados e empórios que queiram vender diretamente para o consumidor final.

“Sabemos que temos o desafio de criar um novo hábito aqui no Brasil, porque as pessoas não estão acostumadas a comprar o salgadinho para fritar em casa, mas nosso produto é feito de forma totalmente natural, não tem conservantes e confiamos que sua qualidade seja um atrativo; e vemos que os brasileiros são bastante preocupados com a saúde, e nosso produto pode ser frito na ‘Airfryer’ também, sem óleo”, explicou Fatina nesta quarta-feira (22).

Segundo ela, a feira está rendendo diversos contatos e reuniões. Sete empresas já demonstraram interesse. A Almounajed vende para cerca de 60 países, incluindo os árabes Tunísia, Argélia, Líbia, Sudão, Arábia Saudita, Iêmen (um dos maiores compradores), Kuwait e Iraque. Mais de 65% dos produtos são exportados e, de acordo com Fatina, a capacidade de produzir 3.500 toneladas por mês faz com que seus preços sejam bastante competitivos.

A empresa é originalmente de nacionalidade Síria, fundada pelo pai de Fatina em 1945, e costumava produzir chocolates, chips, biscoitos e salgadinhos. Depois do início da guerra na Síria, em 2011, a empresa foi destruída e, em seguida, realocada para o Egito, em 2012, de onde recomeçou produzindo apenas salgadinhos.

(Continua após a galeria)

Inagrotiba

A empresa de ervas e temperos desidratados Inagrotiba também busca expandir para o mercado brasileiro. Segundo o presidente da marca, Mohamed Shafik, a feira está sendo interessante para promover contatos, reuniões e, principalmente, pesquisa de mercado. “Já temos algumas empresas interessadas, ainda não fechamos negócio, mas estamos otimistas”, disse.

A empresa quer vender a granel para outras companhias de alimentos que utilizem os temperos em produtos industrializados ou até mesmo que embalem e vendam os itens nos supermercados. “Queremos vender grandes quantidades para grandes empresas e iremos competir com a nossa qualidade, e não apenas com preço”, enfatizou Shafik, explicando que todo o processo da produção das ervas e temperos desidratados é feito com altos padrões de qualidade, e sem aditivos. A Inagrotiba está dando ênfase à venda de salsinha, cebola em pó e alho em pó aqui no Brasil. Os maiores competidores desses produtos são a Argentina para a salsinha e a China para a cebola e o alho em pó mas, segundo Shafik, sua qualidade é superior.

A Inagrotiba vende ainda orégano, manjericão, alho-poró, coentro, camomila, entre outros. A companhia foi fundada em 2014 e é especializada em desidratação de ervas, temperos, vegetais e frutas, e busca ser uma exportadora global de produtos de alta qualidade.

Herbs Egypt

A Herbs Egypt está presente no mercado brasileiro há 20 anos, vendendo para outras empresas as suas ervas como manjericão, manjerona, camomila, calêndula, pimenta, salsinha, coentro e hortelã. Segundo o diretor-geral da marca, Rabie Abbas, seus principais compradores são empresas de produtos alimentícios, compradores a granel, empresas de chá e de medicina alternativa.

“Já estamos estabelecidos no Brasil, e aqui comercializamos 12 produtos; aqui na feira estamos buscando ampliar nossa base de compradores, ontem (terça-feira) fechamos um negócio e hoje (quarta-feira) temos duas reuniões, estamos satisfeitos”, contou Abbas. O diretor não quis mencionar o nome da empresa com quem fechou acordo.

Vinte anos atrás, a Herbs Egypt começou vendendo cerca de US$ 50 mil por ano ao Brasil. Hoje, vende US$ 400 mil ao ano e, segundo Abbas, até maio do ano que vem espera alcançar o montante de US$ 1 milhão, com iniciativas de marketing e a participação na feira anual da Associação Paulista de Supermercados (Apas Show).

A feira Food Ingredients South America ocorre no Expo Transamerica, na avenida Dr. Mário Villas Boas Rodrigues, 387, Santo Amaro, São Paulo. O horário é das 13h às 20h. Para mais informações, acesse o site da mostra.

 

Bruna Garcia/ANBA
Bruna Garcia/ANBA
Bruna Garcia/ANBA
Bruna Garcia/ANBA
Bruna Garcia/ANBA

Publicações relacionadas